Pauta do STF está recheada de inquéritos contra políticos

O deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) é outro na mira do STF nesta semana. Ele é alvo do Inquérito 3352/2012 no qual é acusado de peculato.

iG Minas Gerais |

O Supremo Tribunal Federal (STF) colocou na pauta da semana três inquéritos que envolvem parlamentares em exercício no país. E em pelo menos dois deles, pode ser a última chance de a Corte decidir o futuro dos políticos, que deixarão os cargos ao fim da legislatura. Se isso não acontecer logo, corre-se o risco de os inquéritos irem à primeira instância, pelo fim do foro privilegiado, adiando decisões que já se espera há anos, gerando sensação de impunidade.

Entre os casos que estão na pauta da Primeira Turma do STF nesta terça-feira está o da deputada federal Jaqueline Roriz (PMN), filha do ex-governador Joaquim Roriz. Ela renunciou durante a disputa deste ano e, por isso, perderá o foro ao fim do ano. Jaqueline é alvo do Inquérito 3113/2011, em que é acusada de ter recebido, como deputada distrital, propina do então candidato a governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, para não pedir votos a favor da coligação da candidata Maria de Lourdes Abadia, sua companheira de partido. O caso ficou conhecido como mensalão do DEM.

O deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) é outro na mira do STF nesta semana. Ele é alvo do Inquérito 3352/2012 no qual é acusado de peculato. O processo está sob segredo de justiça. Padilha não disputou a reeleição.

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), ex-líder do governo na Casa, é o terceiro parlamentar alvo do STF. Com mandato até 2019, ele é investigado no Inquérito 2116/2004. O caso que já tramita há dez anos apura crimes de responsabilidade e também está sob segredo de Justiça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave