Presidente corre da imprensa para evitar vazamentos

No mesmo dia, fez reunião sigilosa com o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro Brandão

iG Minas Gerais |

ANDRE DUSEK
undefined

Brasília. A reedição das “agendas secretas” da presidente Dilma Rousseff (PT) – frequentes no seu primeiro mandato – têm causado críticas entre assessores do Palácio do Planalto. Dilma se irrita com vazamentos de conversas reservadas. Por isso, intensificou encontros sem registro oficial.

“É a presidente clandestina”, brinca um ministro. Só em novembro foram três operações despiste de jornalistas. No dia 18, enquanto a imprensa aguardava autoridades na portaria do Palácio do Alvorada, sua residência oficial, Dilma deixou o local em direção à Granja do Torto, para encontrar Lula

No mesmo dia, fez reunião sigilosa com o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro Brandão. Dois dias depois, enquanto jornalistas aguardavam a petista no hotel em que ela despacha em São Paulo, pediu assessores para despistar a imprensa e seguiu para encontro com o ministro Aloizio Mercadante.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave