Pelé precisou de remédios para dormir, diz senador Eduardo Suplicy

O encontro não aconteceu, pois Pelé não havia dormido bem durante a noite e precisou de medicamento

iG Minas Gerais | Folhapress |

Pelé pede que manifestantes 'poupem' seleção na Copa
Divulgação/Fifa
Pelé pede que manifestantes 'poupem' seleção na Copa

Neste domingo (30), o senador Eduardo Suplicy foi ao hospital Albert Einstein para visitar o ex-jogador Pelé, 74, que está internado desde segunda-feira (24) no local, com uma infecção urinária.

O encontro, no entanto, não aconteceu. Segundo o senador, ele conversou com a filha do ex-atleta, Kelly Nascimento, e ela afirmou que o pai não dormiu bem a noite passada e por isso recebeu medicamento para dormir durante a tarde deste domingo (30).

"Ela até disse que ele gostaria de estar assistindo o jogo, mas está em sono profundo", disse Suplicy. Kelly disse ainda que seu pai só poderá receber visitas a partir de terça-feira(2).

Antes de entrar no hospital, o senador afirmou que sua intenção era transmitir estimas de melhoras.

"Como brasileiro e torcedor do Santos, tive muitas alegrias com ele. Fiquei com vontade de dar um abraço no Pelé e lhe transmitir uma boa energia positiva", acrescentou.

Para Pelé, Suplicy trouxe alguns presentes. Dois livros, uma cartilha e uma miniatura de uma bicicleta com o símbolo santista. Os livros eram a autobiografia de Martin Luther King e outro do próprio Suplicy, "Renda da Cidadania".

Ele disse ainda que não tem mantido contato recente com a família do ex-jogador, mas seus filhos, Supla e João, fizeram uma música em sua homenagem e apresentaram a canção há alguns meses na casa do próprio Pelé, no Guarujá.

Neste domingo (30), Pelé está sendo acompanhado por sua filha, Kelly. Na maior parte dos dias até o momento, Márcia Aoki, sua mulher, e Flávia Nascimento, sua filha fisioterapeuta, têm sido suas companhias mais frequentes. Na tarde deste sábado (29), Edinho, seu filho, também lhe fez uma visita.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave