Estatal sempre foi principal “vitrine”

No governo de Lula, a imagem do petista com as mãos sujas de petróleo no macacão da então ministra Dilma Rousseff durante a inauguração da primeira plataforma do pré-sal ficou marcada

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Desde sua fundação, em 1953, a Petrobras é usada politicamente pelos presidentes da República – independentemente de partidos – ou por candidatos ao posto. A primeira apropriação da estatal foi com a campanha O Petróleo é Nosso, lançada em 1954 por Getúlio Vargas.  

De lá para cá, a empresa tem sido uma grande vitrine dos governos, segundo o cientista político da Universidade de Brasília (UnB) David Fleischer. O professor lembra que, desde o seu nascimento, a Petrobras é a “joia da coroa brasileira”. “A Petrobras sempre foi o orgulho nacional. A empresa-modelo para todos os governos. Sempre foi a joia da coroa, que jamais poderia ser privatizada”, afirma.

Em 2000, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) sugeriu que a empresa mudasse de nome para PetroBrax, para facilitar sua internacionalização. Desde então, o PT usa a sugestão como ataque ao “prenúncio da privatização” pretendida pelos tucanos. O argumento foi usado na campanha de reeleição de Dilma Rousseff.

No governo de Lula, a imagem do petista com as mãos sujas de petróleo no macacão da então ministra Dilma Rousseff durante a inauguração da primeira plataforma do pré-sal ficou marcada. “Cada um joga com as cartas que recebe. A Petrobras sempre foi um ‘ás’ dos presidentes”, diz Fleischer.

Estrutura

Barganha. Além de ser uma vitrine perante o mercado externo por seus resultados econômicos, a Petrobras sempre foi importante politicamente na divisão de cargos entre aliados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave