“Na ‘rádio peão’, se comentava do Duque”

Sílvio Sinedino repres. dos trabalhadores no Conselho de Administração da petrobras

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Os trabalhadores imaginavam o que se passava nas diretorias da Petrobras?

Na “rádio peão”, sempre se comentava muito do Renato Duque. Mas a empresa não tem poder de polícia. Não tinha provas. Quem trabalhava com ele comentava dos muitos aditivos que eram feitos nos contratos. Não conhecíamos a vida pessoal dos diretores. Se tinham muito dinheiro. Não houve fraude contábil, por isso foi mais difícil de pegar. Os envolvidos não causaram tanta surpresa quanto o montante.

Qual o sentimento hoje dos trabalhadores?

Os trabalhadores não são bandidos. Somos honestos. Não queremos que a empresa fique manchada. É constrangedor. O clima é de tensão e indignação. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave