Depois de certa idade, só namoro

Também divorciada, a professora Eliani Antônio Brandão, 65, já não vê tanto sentido no matrimôni

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

A paulistana Maria de Fátima Ferreira Guedes, 57, não descarta a possibilidade de eventualmente se casar de novo, mas garante que essa já não é prioridade. “Quando a gente é jovem, o mais importante é casar, mas depois, a gente vê que não é bem assim, e me parece que o homem chega a essa idade e pensa daquela maneira”, conta Maria de Fátima. Casada por 12 anos até 2002, união na qual teve duas filhas, ela aprova as oportunidades criadas pelo Coroa Metade. “É difícil conhecer alguém para um relacionamento sério nessa idade. Fico muito envolvida com a família, não costumo sair para lugares como boates ou mesmo barzinho, até porque eu não bebo”.  

Também divorciada, a professora Eliani Antônio Brandão, 65, já não vê tanto sentido no matrimônio. “A mulher que se separa e chega a essa idade se liberta, já não tem mais que cuidar de filhos, de casa e quer fazer tudo que tem vontade. Sinto que essa autonomia assusta um pouco os homens”, diz Eliani. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave