Aymoré é líder no mercado mineiro ao completar 90 anos

Empresa produz 3.200 toneladas de biscoitos por mês na fábrica de Contagem, na região metropolitana

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Foco. Fábrica da Aymoré em Contagem (MG) representa 90% da produção
Aymoré/divulgação
Foco. Fábrica da Aymoré em Contagem (MG) representa 90% da produção

A marca Aymoré, líder no segmento de biscoitos em Minas Gerais, completa 90 anos com 27% de participação de mercado no Estado e outros 41% na capital mineira. Além da presença maior no mercado mineiro, a Aymoré, marca do Grupo Arcor, também tem no Estado quase a totalidade da sua receita. “O mercado mineiro representa 90% do que a marca fatura atualmente”, conta o gerente de marketing de biscoitos da Arcor, Anderson Freire. Em 2014, o faturamento previsto da Aymoré é de R$ 200 milhões.  

Com 860 funcionários, a fábrica de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, produz 3.200 toneladas de biscoitos por mês. Outra planta da marca fica em Campinas, no interior de São Paulo, onde são fabricadas outras 400 toneladas mensais dos produtos.

“Campinas produz 10% dos biscoitos, e 90% da produção fica em Contagem”, calcula Freire. “Podemos dizer que a Aymoré é uma marca admirada e bem cuidada pelo mineiro, que reconhece os produtos com qualidade e inovação”, diz o executivo, há dez anos na empresa. Além de Minas Gerais, a marca Aymoré também é comercializada no Rio de Janeiro e Estados da região Centro-Oeste.

Na proporção de consumo, a Aymoré também ganha na preferência: de cada um quilo de biscoito consumido em Belo Horizonte, 410 gramas são da Aymoré. Em Minas Gerais, a cada um quilo, 270 gramas referem-se à Aymoré. “Nos últimos anos, nós permanecemos na liderança em Minas sem ganhos expressivos de market share (participação de mercado), dado que não é fácil manter essa liderança”, explica Freire.

Mas só de se manter à frente, de acordo com o executivo, é algo para poucas empresas aos 90 anos. “Ainda mais falando num produto que não é inovador, já que biscoito é de consumo massivo”, afirma. Para ele, o bom resultado é fruto da manutenção da qualidade do biscoito, além do reconhecimento do cliente.

Sobre as perspectivas futuras, Freire afirma que o mercado de biscoito cresce neste ano devido à migração de outras categorias para o produto que é considerado um alimento. “Uma vez que temos um portfólio de produtos com maior valor agregado, isso permite crescimento maior de faturamento”, acredita.

E se o momento atual da economia ajuda ou prejudica a Aymoré, Freire diz que ele é favorável, sim, ao consumo. “Em 2015, acreditamos que haja crescimento no segmento. Estamos otimistas, e o maior desafio é trazer a novidade para o mercado o quanto antes”, conclui o executivo.

Empresa investe em lançamentos de produtos Para se manter na liderança, a Aymoré tem feito investimentos – a empresa não divulga números – em lançamentos como a linha Grãos da Terra, que, neste ano, traz outros dois novos sabores. “Momentos Aymoré” – com dois shows musicais gratuitos em Belo Horizonte – e embalagens comemorativas aos 90 anos da marca também fazem parte da programação de aniversário. “Os shows foram feitos para retribuir aos mineiros o carinho que eles têm pela marca”, diz o gerente de marketing de biscoitos da Arcor, Anderson Freire, que já desenha a ampliação das apresentações para 2015. Também no ano que vem, a marca trará novidades em biscoitos doce e salgado. Mas o executivo prefere não revelar os detalhes ainda. Neste ano, a linha Grãos da Terra – lançada em 2012 – é composta por oito sabores. Grãos da Terra foi criada com base na necessidade de consumo de produtos saudáveis e com a orientação de profissionais da Sprim Brasil Nutricional, consultoria especializada em nutrição. Para Freire, o que fez a empresa chegar aos 90 anos foi a forma com que os produtos têm sido conduzidos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave