‘Liberação leva mais armas para as ruas’

iG Minas Gerais |

Cientistas políticos ouvidos pela reportagem são contra a proposta, com o principal argumento de que a liberação aumentaria o número de armas em circulação e, assim, a criminalidade. “Se tivermos mais armas em circulação, aumentam, por consequência, o comércio ilegal e o arsenal dos criminosos. Quanto mais armas na rua, mais armas vão parar nas mãos do bandidos. Sem o atual estatuto será muito pior”, defende o diretor da ONG Viva Rio Rubem César Fernandes.

Hoje responsabilidade da Polícia Federal, o repasse do registro e autorização para porte de arma para as polícias civis é outro ponto criticado por Guaracy Mingardi, especialista em segurança pública. Para ele, a alteração descentraliza o controle e facilita favores pessoais. “Essa transferência seria uma involução. É preciso ter um órgão ligado ao Ministério da Justiça”.

O autor da proposta discorda. “A PF está sobrecarregada e não consegue avaliar todos os pedidos. A Polícia Civil, presente em todas as regiões brasileiras, teria mais facilidade para tal”, justifica Rogério Peninha (PMDB-SC). (JHC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave