Além do texto

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Rochelle Costi/divulgação
"Céu Solo - série Escada Palavra" (2011-2014), de Rochelle Costi

Novas maneiras de se apresentar a escrita foi o ponto de partida para a exposição “Let it Out: Out Let”, projeto concebido pela artista plástica Mabe Bethônico em cartaz na Celma Albuquerque Galeria de Arte. A mostra reúne obras de vários artistas da galeria, sendo o fio condutor a presença do texto, seja escrito ou falado, em todas elas e em diferentes formas. Para isso, são usados recursos que vão do texto impresso nas obras e em cadernos literários, a até peças sonoras, vídeos e fotografias, por exemplo.

“Cada artista lidou com a palavra em sua obra de maneira diferente. Tem a letra como estampa, instalações, vídeos e até narrações completas que contam uma história”, explica Mabe.   A exposição, que conta com trabalhos de 11 artistas da própria galeria, também proporciona uma linha do tempo sobre a obra de Mabe que, pela primeira vez nos últimos dez anos, reuniu uma seleção mais acessível de trabalhos depois de expor fora do Brasil e Bienais de São Paulo (2006 e 2008). A artista vai reativar também o seu trabalho pertencente ao acervo do Museu de Arte Latino-Americano de Buenos Aires (MALBA), “Glossário”, de 2005.   “É uma exposição que exige mais do espectador, principalmente tempo para a leitura. Não dá para percorrer o espaço buscando só as imagens. Estão expostos diversos conteúdos para fruição e eles pedem disponibilidade e interpretação”, recomenda.   “Let it Out: Out Let” conta com obras de artistas como Daniel Bilac – que evoca recentes eventos de protesto em Belo Horizonte em grandes fontes tipográficas – e também de Rochelle Costi, que traz as palavras na fotografia, por meio de impressão a jato de tinta sobre papel de algodão.   “Let it Out: Out-Let” Celma Albuquerque Galeria de Arte (r. Antônio de Albuquerque, 885, Savassi). Segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; e sábados, das 9h30 às 13h. Gratuito.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave