Certas canções do coração

iG Minas Gerais | Jessica Almeida |

Sáb. e dom. 6 e 7.dez.
Priscila Prade/Divulgação
Sáb. e dom. 6 e 7.dez.

Antes de começar a falar de “Romance Volume III – Agora Vai!”, que Marisa Orth apresenta em BH dias 6 e 7, é preciso voltar até 2009, quando ela estreava “Romance Volume II”. Espécie de “stand-up comedy musical”, o antecessor discutia as diversas fases de um relacionamento malsucedido – sedução, conquistas, jogos do amor, problemas, dor de cotovelo, fundo de poço e retomada. 

De lá pra cá, Marisa se casou – com o percussionista Dalua, que conheceu nas gravações de um CD com as músicas do espetáculo, por sinal – e agora se debruça sobre as questões que cercam os relacionamentos mais extensos, de namoros a casamentos, passando por amizades de longa data.   Já que a maior parte da literatura sobre o assunto é focada na conquista, ela resolveu falar sobre o que vem depois. “Começo abordando a questão do cachorro correndo atrás do carro: se o carro para por algum motivo, ele fica perdido. É o que acontece com a gente”, diz.    As canções são amarradas às histórias com boa dose de humor, num formato que remete às apresentações da humorista americana Bette Midler, por exemplo. “Até lamento que o público não esteja bebendo, como acontece nas casas de shows dos EUA. Estamos até tentando um patrocínio para dar pelo menos uma taça de vinho para cada espectador”, brinca.   O repertório tem músicas do grupo Luni, de Roberto Carlos (“Ciúmes de Você”, sucesso do Rei de autoria de Luiz Ayrão), Caetano Veloso (“Escândalo”), do cubano Bola de Nieve e do paraense Felipe Cordeiro, além de “Aparências”, que embora seja de Marcio Greyck, tem, segundo ela, “uma pegada Vexame”, outra banda que ela integrou.   Apesar disso, ela não se identifica como cantora, apenas como atriz. “Essa é a minha carreira, eu aprendi a cantar imitando cantoras. Percebo que escolho músicas que são trechos de fala, dificilmente vou cantar uma em que o narrador esteja em terceira pessoa. Não sou muito de ‘um banquinho um violão’, estou mais para ‘não vou mais chorar’”, canta, comparando.    Nas telas Zapeando pela TV (aberta e a cabo), é fácil encontrar o rosto de Marisa. Ela está no ar não só na série “Dupla Identidade”, da Globo, como nas reprises de “Sai de Baixo”, “Toma Lá, Dá Cá” e “S.O.S Emergência”, no Viva, e apresenta o “Almanaque Musical”, no Canal Brasil.   Bolamos esse formato para o ‘Almanaque’, com temas relacionados à música: eu cantando junto, um pouco de entrevista – sem rigor jornalístico porque não é a minha formação. Então, elogio, pergunto sobre curiosidades pessoais. O público e os artistas parecem estar gostando e fomos contratados para mais uma temporada”, conta.    A atriz paulistana também está no elenco de “De Onde Eu Te Vejo”, filme de Luiz Villaça, com Denise Fraga no elenco e no curta de ficção “Estro” escrito e dirigido por Daniel Tupinambá. “Faço uma personagem que fica velha, depois fica nova, vai dos 85 aos 35, uma coisa experimental, bacana de fazer”.   Romance Volume III – Agora Vai! Com Marisa Orth. Sesc Palladium (r. Rio de Janeiro, 1.046, centro, 3889-2003). Dias 6 (sábado), às 21h; e 7 (domingo), às 19h. R$ 80 (plateia 1, inteira), R$ 70 (plateia 2, inteira) e R$ 40 (plateia 3, inteira) 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave