A rainha da rua

iG Minas Gerais | Da redação |

Denise Leal dá vida a Macaxeira
FLÁVIO CHARCHAR/DIVULGAÇÃO
Denise Leal dá vida a Macaxeira
Uma moradora de rua com personalidade inspirada em pessoas reais, na própria atriz que a interpreta e em uma personagem de William Shakespeare. Concebida e performada por Denise Leal, artista que integra a Cia Quinta Marcha, ela existe: é a Macaxeira. A personagem é a estrela de “Se Essa Rua Fosse Minha, um Solo de Macaxeira”, que o grupo estreia na próxima terça (2), no Teatro Espanca!, como parte da programação da Mostra Gandarela Cultural 2014.   “Nossa vontade foi pegar o recorte da Lady Macbeth e trazer a realidade dela para a realidade da rua”, explica Denise. Na tragédia de Shakespeare, intitulada “Macbeth”, a personagem entra em um universo delirante após sentir culpa por ter persuadido o marido a cometer um assassinato. No caso de Macaxeira, porém, o que mais se pega de Lady Macbeth é a questão do delírio, da loucura. “Sabe essas pessoas que falam a verdade através de delírios? Tem toda uma loucura que a gente precisa poetizar. Por isso pesquisamos Estamira e Stela do Patrocínio”, conta Denise, sobre as duas brasileiras que, apesar de sofrerem de distúrbios mentais, tinham discursos com grandes reflexões e com alto teor poético e inspiraram documentário, livro e peça teatral.    Além das duas e de Lady Macbeth, Denise também inseriu na peça elementos vindos de experiências próprias que teve com pessoas em situação de rua, especialmente quando trabalhou como assistente de produção do Grupo Espanca!, cuja sede fica próxima ao viaduto Santa Tereza. “Eu tenho amigos que são moradores de rua mesmo, eu queria dar voz a eles. Pensar em como representá-los”, conta.    No parque Macaxeira surgiu em 2010, na formatura de Denise no Centro de Formação Artística (Cefar) da Fundação Clóvis Salgado, na qual sua turma encenou no Parque Municipal “Sua Cabeça É a Lei de Mac”, peça inspirada no mesmo “Macbeth”, de Shakespeare, e dirigida por Juliana Pautilla, que também assina a direção de “Se Essa Rua Fosse Minha”. No palco, haviam 16 atores, a maioria deles interpretando Macbeth ou Lady Macbeth, exceto Denise e um colega. “Tinha a Macaxeira e o Mandioca, uma dupla, dois mendigos. Eles eram o que tinha de mais real ali, o real do parque e não do texto de Shakespeare”, conta.    De lá para cá, a personagem foi ganhando novos contornos, de acordo com as transformações na vida artística de Denise. “Em 2011, surgiu o convite do Galpão para fazer os entreatos do Festival de Cenas Curtas. Foi lá que surgiu um lado mais cômico da personagem”. Cômicas também são algumas situações que Denise já passou performando Macaxeira pelas ruas de BH: “Várias vezes fui atendida por assistentes sociais, já me deram lanche, cobertor”, diverte-se. Em outro ocasião, o então governador Antônio Anastasia foi surpreendido por Macaxeira, quando ela e Mandioca se apresentavam na Cidade Administrativa e, por falta de comunicação, os seguranças do político acharam que se tratava de mendigos indo protestar.   Tornando-se ainda mais viva com seu primeiro solo, Macaxeira terá 50 minutos só para si em “Se Essa Rua Fosse Minha”, espetáculo que tem seu nome inspirado na música homônima, que inclusive está na trilha sonora, acompanhada de uma canção de Amado Batista e de outros “barulhos” manipulados pela Cia Quinta Marcha. Para concretizar a montagem, a companhia contou com a ajuda de 133 pessoas, que colaboraram com o projeto apresentado pelo grupo na plataforma de financiamento coletivo Variável 5. “O modelo da Lei de Incentivo é bem saturado, então, o financiamento coletivo é uma possibilidade muito interessante em que os dois lados saem ganhando”, conta Denise. Quem colaborou recebeu, após a aprovação do projeto, recompensas que vão desde nome nos agradecimentos à encenação exclusiva do espetáculo, dependendo do valor investido.    Além de Macaxeira, Denise é conhecida em Belo Horizonte por ser o “Chapolim do Carnaval”, personagem que joga água nos foliões. Ao lado da Quinta Marcha, ela também está se dedicando a outro solo, que terá Dayane Lacerda (a outra integrante do grupo) como atriz.   Se Essa Rua Fosse Minha, Um Solo de Macaxeira Teatro Espanca! (r. Aarão Reis, 542, centro, 3657-7348). Terça (2) a sábado (7), às 21h. Gratuito.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave