Travestis são presas por matar colega em Contagem

Três pessoas foram presas e apresentadas nesta sexta pela Polícia Civil, sendo duas travestis e o namorado de uma dessas

iG Minas Gerais | JHONNY CAZETTA |

Uma briga envolvendo troca de namorado e disputa de ponto de prostituição teria sido a motivação para o assassinato da travesti Marina, de 23 anos, no dia 17 de julho deste ano, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os três suspeitos do crime, sendo outras duas travestis e o namorado de uma delas, foram apresentados nesta sexta-feira (28) pela Polícia Civil.

A mandante do homicídio seria, de acordo com as investigações, a travesti Samantha, de 35 anos. Para o assassinato ela teria contado com a ajuda do namorado dela, de 20 anos, e da travesti Pâmela, de 20 anos.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Flávio Grossi, toda a motivação do crime teria começado por conta de uma troca de namorado entre as líderes de dois grupos que fazem prostituição no bairro Cidade Industrial. “Um dos grupos fazem ponto na praça da Cemig, enquanto outro fica na Via Expressa, local onde esse crime aconteceu. Eles eram grupos amigos e a briga entre eles começou porque a Samantha, que seria a cafetina do pessoal da praça Cemig, acabou ficando com o ex-namorado da cafetina da Via Expressa. Isso foi no início do ano”, contou o policial.

Desse tempo para cá, as duas líderes então iniciaram uma guerra. Com trocas de integrantes dos grupos e diversas brigas por conta de pontos de prostituição da região, que viraram ocorrência policial. O estopim da briga teria sido o assassinato de uma travesti do grupo de Samantha, ocorrido no dia 10 de julho.

O crime

Diante do homicídio de uma colega e de toda história de rivalidade, a Samantha então teria resolvido se vingar do grupo rival por achar que ele haviam tramado a morte da amiga. “ No dia do crime, que foi muito bem planejado, ela passou em um Fiat Uno atirando contra as travestis que ali na Via Expressa faziam o ponto. Em seguida, o Victor e a Samantha, passaram atirando novamente, em um outro carro, um Hyundai HB20S, e então assassinaram”, contou afirmou o delegado.

No meio do tiroteio, foram atingidas Marina Klun e também Luan de Souza, a Luana, de 24 anos. Marina chegou a ser resgatada até ao Hospital Municipal de Contagem, mas chegou sem vida ao hospital. Já Luana foi medicada e atualmente passa bem. A chefe deste grupo, que não teve nome revelado, teria sido também os alvos dos disparos, mas não foi atingida.

“A vítima fatal, a Marina, já tinha sido gerente do grupo da Samantha e no meio da briga acabou trocando de turma. Então, acreditamos que as duas já tinham também uma rixa entre elas”, disse o delegado, acrescentando que todos os três suspeitos do crime foram indiciados pelo homicídio e estão presos no Presídio de Vespasiano, na cidade de mesmo nome, na região metropolitana. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave