Brasil e Argentina fecham acordo para investigar crimes da ditadura

É a primeira vez que uma equipe de investigação é instituída na América do Sul

iG Minas Gerais |

Brasília. O procurador geral da República, Rodrigo Janot, assinou um acordo de cooperação com o Ministério Público argentino para criar a Equipe Conjunta de Investigação - Justiça de Transição, que vai apurar os crimes cometidos pelos regimes militares dos dois países.

No último domingo, o jornal “O Globo” revelou a existência de dossiês vistos como uma das maiores provas da operação Condor – cooperação entre os governos ditatoriais do Cone Sul para perseguir opositores.

É a primeira vez que uma equipe de investigação é instituída na América do Sul.

FHC. Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) contou que foi chamado pelos militares durante a ditadura de “mau brasileiro”. FHC foi perseguido, viveu exilado no Chile e na França e retornou ao Brasil em 1968, quando virou professor da USP. “Eu poderia estar dando aula em qualquer lugar do mundo, mas preferi ficar aqui no Brasil por amor ao meu país. Isso é ser mau brasileiro?”, questionou FHC à época.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave