Temer diz que reforma política é “inafastável”

Toffoli chegou a admitir que se o STF concluir o julgamento “o mundo real acabará criando situações que não ficarão bem colocadas”

iG Minas Gerais |

Toffoli e Temer discutiram mudanças no sistema político-eleitoral
ANDRE DUSEK
Toffoli e Temer discutiram mudanças no sistema político-eleitoral

Brasília. Ao participar de debate sobre a reforma política, o vice-presidente da República, Michel Temer, disse acreditar que o novo Congresso, que toma posse no próximo ano, terá como uma das prioridades a produção de uma reforma no sistema político e eleitoral do país. “No Brasil as coisas vão amadurecendo e num dado momento se tornam inafastáveis”, afirmou.

O vice-presidente discutiu propostas sobre o tema e defendeu, por exemplo, uma restrição na doação para campanhas eleitorais em que empresas ficassem proibidas de contribuir com mais de um partido. “Qual a ideia da doação? Doar porque tenho simpatia (pelo candidato). Será que quando o empresário doa ele tem simpatia por todos os partidos políticos? Evidentemente que não é”, disse Temer.

O senador eleito José Serra (PSDB) e o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) participaram do debate ao lado de Temer. Toffoli já votou, no Supremo Tribunal Federal, pela proibição do financiamento de campanhas por empresas.

Toffoli chegou a admitir que se o STF concluir o julgamento “o mundo real acabará criando situações que não ficarão bem colocadas”. “É melhor que isso seja refletido de maneira mais aprofundada. Soluções simplistas não vão resolver problemas muito complexos”, disse o presidente do TSE. Apesar disso, o ministro fez críticas ao atual financiamento eleitoral.

Distrital

Teste. O senador eleito por São Paulo, José Serra, sugeriu a implementação do voto distrital para vereador em municípios com mais de 200 mil eleitores, já para as eleições de 2016.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave