“É um sonho, quero dormir mais nisso”

Marcelo Camelo explicita sua paixão por Portugal, sua nova relação com a guitarra e a turnê pela Europa

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Influência. Camelo deve continuar morando em Portugal, após a turnê com a Banda do Mar
Sony Music/Divulgação
Influência. Camelo deve continuar morando em Portugal, após a turnê com a Banda do Mar

A relação de Marcelo Camelo e as ruas com pedras históricas de Lisboa, o cheiro do peixe na praça pública, a tal Praia da Maçã que ele se diz “completamente apaixonado”, o fado tradicional e tudo mais que envolve os colonizadores da terra tupiniquim estão no sangue. A influência mais marcante vem dos avós, principalmente Luiz Sousa, que o ensinou a tocar seus primeiros acordes no violão e a quem o neto prestou homenagem durante a carreira solo, interpretando o desconhecido samba “Porta de Cinema”, escrito pelo avó na década de 50. Sua mudança sem grande alarde para a capital portuguesa, ao lado da mulher Mallu Magalhães, parece ter despertado ainda mais a criatividade de um dos principais compositores brasileiros da atualidade.

Há um ano, ele foi passar férias em Lisboa com a então namorada Mallu, pesquisou alguns bairros mais próximos a algum rio, e decidiu se mudar. “Eu queria ter o litoral ali na minha porta. E um dia ainda vou morar na Praia da Maçã. É naquele lugar mágico que quero encerrar a vida. A gente já gostava muito de lá, sempre íamos para visitar. Então, eu e a Mallu resolvemos comprar uma casa lá, a mudança não foi em busca de coisas novas, mas sim das coisas que já conhecíamos de lá”, diz.

Durante o rolê de férias em Lisboa, o casal também aproveitou para estreitar relações com o baterista Fred Ferreira, com quem Marcelo Camelo tem uma amizade de dez anos que lhe rendeu o título de padrinho da filha do baterista, Maria, 4. Os dois chegaram a trabalhar juntos no disco “Vazio Tropical” (2013), do catarinense Wado. “A química é espetacular. O Fred entende tanto a minha linguagem quanto a da Mallu, nossas semelhanças e diferenças, e tem um vigor raro nas baquetas. O legal agora de estar no Brasil é poder levar esse cara para conhecer coisas como Manaus, a Feira de Belém, Teresina, cultura brasileira”, expõe Camelo.

Com uma rotina basicamente simples, de quem compra pão, faz caminhada no fim da tarde e visita a praia sempre que dá, antes da turnê no Brasil, Marcelo Camelo passou boa parte do tempo em casa, estudando guitarra. Nos shows com a Banda do Mar, ele tem usado um modelo Gibson SG de cor preta e vermelha – popularizada pelo guitarrista do AC/DC, Angus Young. Mesmo após a fama com a guitarra melódica dos Los Hermanos encabeçada por Rodrigo Amarante, Marcelo Camelo se sente dando os primeiros passos nas cordas do rock. Um baque, ele admite, para quem estava acostumado a destilar um dedilhado próprio em violões de nylon. “Me sinto superaprendiz do instrumento, a guitarra é meio misteriosa pra mim ainda. Porque além de estar acostumado com o violão de nylon há mais tempo, o jeito que a guitarra entra na música é completamente diferente, repleto de possibilidades que um amplificador te dá”, avalia o músico.

INTERNACIONAL. Sem previsão de voltar a morar no Brasil, Mallu e Marcelo retornam a Portugal no início de 2015 – quando termina a curta temporada de shows pela terra natal do casal. A partir do ano que vem, a Banda do Mar estreia a turnê pela Europa, no próximo dia 28 de janeiro, em Lisboa, no Teatro Tivoli BBBA. Sobra a continuidade do trio, Marcelo Camelo dá sinais de que o trabalho é pontual. “Nós três tínhamos um combinado, que era gravar o CD e fazer uma turnê. Mas sinto que a Banda do Mar é algo que podemos revisitar a qualquer momento. É um sonho, quero dormir mais nisso por enquanto”, completa.

Agenda

O QUE. Show Banda do Mar

ONDE. Music Hall (avenida do Contorno 3.239, Santa Efigênia)

QUANDO. Amanhã, às 22h

QUANTO. Os ingressos variam de R$ 50 a R$ 150, mas todas as entradas estão esgotadas

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave