Entidades da indústria e do mercado financeiro aprovam nova equipe

Confederação Nacional da Indústria, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo e a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais concordaram escolha da presidente

iG Minas Gerais | Da Redação |

A equipe econômica do segundo mandato de Dilma Rousseff, anunciada oficialmente nesta quinta-feira (27), pelo Palácio do Planalto, recebeu a aprovação de entidades como a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo e a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Para a CNI, Joaquim Levy, indicado para o Ministério da Fazenda, e Nelson Barbosa, para o Ministério do Planejamento, têm “reconhecida competência técnica” a fim de comandar a equipe econômica do governo brasileiro. Em nota, a entidade diz que os futuros ministros “certamente atuarão de forma eficiente e eficaz para implementar medidas capazes de elevar a competitividade da economia brasileira”.

O presidente da CNI, Robson Andrade, destaca que a indústria deseja aprofundar o diálogo entre as partes e ajudar o Brasil a vencer os desafios do segundo mandato. Andrade, que se reuniu quarta-feira (26) com Dilma, desejou também êxito no trabalho dos novos ministros. A Federação Brasileira de Bancos também elogiou a escolha divulgada oficialmente nesta quinta-feira (27).

O anúncio também foi recebido com otimismo pela Anbima, cuja presidenta, Denise Pavarina, divulgou nota colocando a entidade à disposição de Dilma para “contribuir na construção de uma agenda ambiciosa para o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro”. Segundo a nota, os membros da associação prometeram manter o diálogo “frequente e franco” na interlocução com os representantes do setor público, “sempre com o objetivo de desenhar medidas que fomentem o desenvolvimento de canais privados de financiamento de longo prazo”.

Foi com “satisfação” que duas entidades industriais de São Paulo receberam a notícia. Também por meio de nota, a Fiesp e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo esperam que Levy, Barbosa e AlexandreTombini, que continuará presidindo o Banco Central, “conduzam a economia com responsabilidade, visão de futuro e estímulo aos que querem produzir”, e prometem continuar “parceiras na luta pela geração do emprego e pela redução da burocracia, dos impostos e dos entraves à produtividade da indústria”.