Após sequestro de jovens, presidente do México promete mudar polícia

Segundo investigações, os 43 estudantes foram sequestrados pela polícia na cidade de Iguala e entregues a traficantes locais; depois disso, teriam sido mortos e incinerados pelos criminosos

iG Minas Gerais | Da Redação |

Pressionado pelo desaparecimento e pela provável morte de 43 estudantes no Estado de Guerrero (sudoeste do México) em setembro, o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto (PRI), anunciou em discurso a líderes partidários que vai propor mudanças constitucionais para reformar a polícia no país.

Segundo investigações, os 43 estudantes foram sequestrados pela polícia na cidade de Iguala e entregues a traficantes locais; depois disso, teriam sido mortos e incinerados pelos criminosos.

Acusados de serem os mandantes do crime, o ex-prefeito de Iguala e sua mulher foram presos no dia 4. "O México não pode continuar assim. Depois de Iguala, o país tem de mudar", discursou Peña Nieto, que tem sido alvo de protestos e acusado de omissão diante do sequestro.

O presidente disse que enviará ao Congresso projeto para unificar as forças policiais no Estados e fará uma operação especial de segurança no sudoeste mexicano, uma das áreas mais afetadas pela violência do tráfico. Prometeu, ainda, programas para impulsionar a economia da região.

Corpos sem cabeça

Também nesta quinta (27), 11 cadáveres mutilados, muitos deles sem cabeça, foram encontrados à beira de uma estrada em Guerrero, na cidade de Chilapa. Até as 19h, os corpos -alguns dos quais carbonizados- ainda não haviam sido identificados. 

Leia tudo sobre: políciapresidentesequestrojovens