Sada Cruzeiro mostra sua força também nas estatísticas da Superliga

Equipe celeste lidera três índices individuais e dois coletivos, de acordo com CBV

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Serginho ao lado dos companheiros: líbero viu boa atuação nesta quarta-feira
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Serginho ao lado dos companheiros: líbero viu boa atuação nesta quarta-feira

A boa campanha do Sada Cruzeiro na Superliga masculina, com sete vitórias em sete jogos, faz com que o time e muitos dos seus jogadores ocupem papel de destaque nas estatísticas individuais e coletivas. No entanto, Minas Gerais aparece bem nos números, graças ao bom desempenho do Minas Tênis Clube. O rival celeste também dá as caras nas duas estatísticas. Os outros dois representantes do Estado, UFJF e Montes Claros Vôlei não ficam atrás e aparecem com boa representatividade nas classificações individuais.

Nos números coletivos, o Sada tem o melhor ataque, vendo o Minas ocupar a terceira posição. O atual campeão brasileiro está em segundo lugar no saque e defesa, enquanto o Minas lidera as estatísticas de recepção, com os azuis logo atrás. No bloqueio, o Minas aparece em quarto, sendo seguido de perto por Montes Claros, Sada Cruzeiro e UFJF.

Enquanto Sada e Minas estão em melhor posição na tabela, na primeira e quinta posição, os times do interior ainda brigam para entrar na zona de classificação, entre os oito primeiros colocados. Enquanto o MOC está em nono, a UFJF está logo atrás.

Números da CBV dizem pouco Apesar dos números positivos, o líbero Serginho, do Sada Cruzeiro, prefere se ater ao trabalho de Tiago Silva, estatístico da sua equipe. "Quando tenho interesse em ter acesso às estatísticas, vou direto no Tiaguinho. Se eu não estivesse presente entre os melhores, não me incomodaria, sinceramente. Pra falar a verdade, nem acompanho os números da CBV, nem sabia que eu liderava o fundamento defesa", comenta o defensor, que prefere se ater à análise do membro da comissão técnica.

"Os critérios dele e da CBV são distintos. A CBV não leva em conta passe A, B ou C. Ela analisa passe perfeito ou erro. A nossa já consegue identificar melhor a qualidade da ação. Isso você não consegue ver nos números da Confederação", aponta Serginho.

Por mais próximo e disponível que Tiaguinho esteja, Serginho afirma que pouco incomoda o estatístico. "O Marcelo nos passa, semestralmente, os nossos últimos números, indicando em que fomos bem e no que precisamos melhorar. Isso nos mostra os índices que precisamos alcançar. Dentro do que é passado, cada jogador estabelece sua própria meta", indica.

Após sete rodadas, Minas Gerais já mostra que tem qualidade suficiente para estar na parte de cima das estatísticas, sejam elas quais forem. Muito trabalho está por vir para buscar postos mais altos, tanto nos números, como na posição na tabela, prioridade maior das equipes.

Quanto melhor a posição na classificação, maior será a chance de destaque nos números, conquista que fica em segundo plano para os atletas, que priorizam dar sua dose de contribuição para as desejadas vitórias. São elas que darão o reconhecimento que todos esperam, ultrapassando os adversários no lugar que mais interessa.

Destaque também nas estatísticas individuais

Quando o assunto são jogadores, a divisão é maior entre o quarteto. O oposto Wallace, do Sada Cruzeiro, é o maior pontuador, com seu companheiro de time, o cubano Leal em quinto.

O central Flávio, do Minas, tem o segundo melhor bloqueio. Na sua cola, estão os juizforanos Victor Hugo e Ialisson. Na defesa, o líbero celeste Serginho é o que mais se destaca, mesmo posto ocupado pelo levantador William, capitão de sua equipe. Rodriguinho, do MOC, é o quarto melhor armador e o líbero do Minas,

Lucianinho, é o terceiro melhor quando o assunto é recepção.