Minas contabiliza mais de 300 mortes por afogamento em 2014

E o número pode se tornar ainda maior, visto que o balanço parcial considerou apenas o período do início do ano até o dia 30 de outubro

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Quando vir alguém se afogando, não entre na água
DIVULGAÇÃO/ CORPO DE BOMBEIROS
Quando vir alguém se afogando, não entre na água

O corpo de uma criança de 9 anos foi retirado de um rio na última terça-feira (25) pelos bombeiros, após ela ter se afogado quando brincava no rio Jacutinga, no Vale do Rio Doce. Uma semana antes, outra criança de 10 anos que também brincava com alguns colegas em uma lagoa, na região Centro-Oeste de Minas, também teve o corpo resgatado das águas após se afogar.

Nenhum dos dois casos entrou no último balanço de mortes por afogamento no Estado divulgado pelo Corpo de Bombeiros: o de 301 mortes registradas até o dia 30 de outubro deste ano. No entanto, eles mostram que os números de casos semelhantes têm só aumentado em Minas e, com a proximidade do verão, esses dados podem se potencializar, já que muitas crianças e jovens costumam usar rios e lagoas para se refrescar no calor.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o número de 301 mortes registradas até o fim de outubro, é menor do que o registrado no ano passado, quando foram contabilizadas 366 vítimas fatais de afogamento. Mas até o fim deste ano, o balanço final de 2014 sobre o assunto pode chegar bem perto desta estatística. Além destes dados, a corporação informou que em 2013 as equipes atuaram em 255 salvamentos de pessoas que estavam se afogando.

Já em 2012, este número foi ainda maior: 498 pessoas morreram afogadas, e os bombeiros atuaram em 394 ocorrências de salvamento. Apesar dos esforços da corporação em manter programas de natação para crianças e adultos ou realizar operações em locais com grande concentração de banhistas, o Corpo de Bombeiros reforça que a atenção e precaução das pessoas é essencial para se evitar o aumento de ocorrências de afogamento.

Confira algumas dicas importantes da corporação para saber como agir ao se deparar com situações de risco:

- Pais ou responsáveis: nunca deixem as crianças sozinhas.

- Para nadar, procure sempre um local onde a exista a presença de salva-vidas ou do Corpo de Bombeiros. Além disso, não entre em águas poluídas ou em locais onde há aviso de perigo, e fique atento, respeitando as placas e faixas de advertências.

- Nunca nade sozinho, e se ingerir bebida alcoólica, não entre na água.

- Permaneça próximo à margem e nunca salte de locais elevados para dentro da água. Além disso, não faça brincadeiras de "mau gosto" como caldos, trotes ou saltos.

- Evite fazer refeições pesadas antes de entrar na água e também evite permanecer próximo de onde haja embarcações.

- Ao ver uma pessoa se afogando na água, nunca entre na água para tentar salvá-la, pois você pode se tornar mais uma vítima. Sem se aproximar da vítima, tente lançar um galho, uma boia, uma corda ou outro objeto para que ela flutue e possa ser puxada até um local seguro. Após a vítima ser retirada da água, ela deve ser mantida aquecida, sentada se estiver consciente ou deitada lateralmente se tiver inconsciente, até a chegada dos bombeiros.

- Obedeça as orientações dos  bombeiros e salva-vidas e, para qualquer emergência, acione o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave