Raio causou a primeira morte do período chuvoso deste ano

Apesar de apenas oito municípios terem sido afetados pela chuva até o momento, a média estipulada pela Defesa Civil é que até o fim do período chuvoso - abril de 2015 - cerca de 175 cidades mineiras sejam afetadas

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Previsão é de tempo fechado no final de seman[/SUMARIO]a na capital
Bruno Figueiredo
Previsão é de tempo fechado no final de seman[/SUMARIO]a na capital

O trabalhador que morreu ao ser atingido por um raio em Santo Antônio do Monte, na região Centro-Oeste de Minas, no mês passado, se tornou a primeira vítima fatal da chuva no Estado, segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec). Apesar do incidente ter acontecido no dia 20 de outubro, a informação só foi confirmada nesta quinta-feira (27) pelo órgão. No Brasil, o período chuvoso compreendido pelos órgãos responsáveis ocorre entre outubro e abril do ano sequente.

Na ocasião, o trabalhador Willian Carvalho, de 44 anos, estava carregando um caminhão com peças de argila junto a alguns colegas de trabalho, quando foi surpreendido por uma forte chuva seguida de ventos e trovoadas que atingiu a fazenda onde estava. Ele sofreu uma descarga elétrica e morreu na hora. O caminhão também foi atingido pelo raio e teve as rodas arrancadas do veículo. Os colegas de trabalho da vítima não chegaram a ficar feridos porque estavam afastados de Willian no momento do incidente.

A morte de Willian Carvalho endossa as tragédias causadas pelas chuvas que, em um período de menos de dois meses (entre outubro e o que resta de novembro), já fez com que quatro municípios mineiros decretasse situação de emergência - Carangola, Rio Piracicaba, Sabará e Franciscópolis. Com eles, são oito as cidades afetadas pelas chuvas, sendo as outra quatro Santo Antônio do Monte, Barra Longa, Itajubá e Lavras, que comunicaram a Cedec sobre os efeitos desastrosos da chuva em seus respectivos municípios, mas não chegaram a decretar situação de emergência.

Por estragos, a Defesa Civil considera as 300 casas danificadas pela chuva nestas regiões durante este período, e outras seis obras prejudicadas. Ainda assim, o número de municípios afetados foi bem menor em relação as cidades que sofreram com a estiagem este ano. Neste caso, foram 171 as cidades de Minas que decretaram situação de emergência por causa da seca.

Os dados referentes ao período chuvoso podem aumentar ainda mais, já que ele vai até abril de 2015 e, historicamente, as chuvas incidem mais sobre Minas em dezembro e janeiro, segundo o órgão. As regiões que mais receberam chuvas até agora, de acordo com o volume acumulado contabilizado pela Cedec, foram a Centro-Oeste e a Noroeste do Estado.

Comparação

A média histórica de mortes por causa da chuva em Minas Gerais, é de 24,8 óbitos por ano. Sendo assim, houve uma pequena queda nos últimos anos, já que o período chuvoso entre 2013 e 2014 contabilizou 23 mortes, sendo cinco por desabamento, seis por enxurrada, 10 por soterramento, uma por queda de árvore e outra por descarga elétrica.

No último período chuvoso - entre outubro de 2013 a abril de 2014 -, quando foram 139 municípios atingidos, a Defesa Civil verificou um aumento de 59% no número de atingidos em relação ao período chuvoso anterior, que foi de 87 municípios afetados. Apesar de não ser possível prever o balanço do período chuvoso vigente - que começou em outubro deste ano e acaba em abril de 2015 -, o órgão estabelece uma possível média para o período: a de que 175,7 municípios mineiros devem ser afetados pela chuva até abril, considerando que historicamente os meses de dezembro e janeiros são os mais chuvosos em Minas e é quando costumam acontecer os maiores desastres causados pela chuva.

O período de chuvas anterior (2013/2014) foi recordista de danos econômicos causados, totabilizando o prejuízo de R$ 2.138.704.613,73, por causa dos danos materiais. Na época, além das 23 vítimas fatais, 229 pessoas ficaram feridas, 17.301 desabrigadas, 33.061 desabrigadas e, no total, 186.654 pessoas foram afetadas. Este período foi, até então, o que mais contabilizou danos e prejuízos por causa das chuvas.

Como evitar ser atingido por um raio

Apesar de não ser considerada uma morte muito comum, os acidentes causados por raios não são tão raros, de acordo com a Defesa Civil. Por isso, as recomendações do órgão são incisivas neste sentido:

- em caso de tempestades com raios, deve-se evitar utilizar aparelhos eletrônicos conectados à fonte de energia como televisão, ferro de passar roupa, computador, chuveiros, entre outros;

- em caso de incidência de raios, o ideal é abrigar-se em locais fechados e distantes de estruturas metálicas;

- nunca entrar em água de piscina, rios ou córregos quando estiver trovejando,

- nem se esconder embaixo de árvores;

- evitar ao máximo ficar em campo totalmente descoberto de abrigo físico;

- nunca praticar esportes como futebol em local aberto;

- se estiver em algum lugar onde não possa se proteger como casa, carro fazendas, estradas de terra ou asfalto, o ideal é se agachar, juntar os pés e abaixar a cabeça. 

Leia tudo sobre: Santo Antônio do Monte