Pedido de ex-diretor deve agilizar repatriação dos US$26 milhões

Paulo Roberto Costa assinou contrato autorizando a Suíça a desbloquear e transferir dinheiro de suas contas, de acordo com jornal carioca

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Esquema irrigou campanhas do PT, PMDB e PP, diz ex-diretor da Petrobras
Agência Brasil
Esquema irrigou campanhas do PT, PMDB e PP, diz ex-diretor da Petrobras

Ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, foi quem pediu oficialmente a repatriação de aproximadamente US$26 milhões, que estavam "escondidos" em suas contas bancárias na Suíça, segundo apurou o jornal "O Globo".

O pedido formal surgiu a partir de um acordo estabelecido entre Brasil e Suíça há alguns meses, com objetivo de adiantar o processo de devolução da quantia. Como o ex-diretor assumiu o crime, permitiu ao Brasil acelerar as negociações com os bancos suíços. Caso fosse realizado o procedimento normal, Costa teria primeiro ser julgado e condenado em última instância.

No início das investigações da Polícia Federal, Paulo Roberto Costa assinou um contrato, dentro da delação premiada, autorizando a Suíça a desbloquear o valores da suas contas para serem transferidos para o governo no Brasil. 

No Brasil, por determinação do juiz federal Sérgio Moro, responsável pela operação, já foram bloqueados cerca de R$ 100 milhões nas contas-correntes pelo Banco Central ou diretamente nas instituições, no caso de fundos de investimentos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave