Brasil e Uruguai dispensam o câmbio

O exportador fornece os dados bancários ao importador e recebe em sua conta corrente o valor das suas vendas

iG Minas Gerais |

Brasil e Paraguai poderão usar as moedas locais nos negócios
Eraldo Peres/AP
Brasil e Paraguai poderão usar as moedas locais nos negócios

BRASÍLIA. A partir da próxima segunda-feira, dia 1º de dezembro, empresas brasileiras e uruguaias poderão fazer transações comerciais nas moedas desses dois países. Esse é o segundo país com o qual o Brasil adotou o procedimento conhecido como Sistema de Pagamentos em Moeda Local (SML).

Desde 2008, há acordo semelhante com a Argentina. O uso do sistema é opcional e tem como objetivo reduzir o custo das transações entre diferentes países. É possível fazer operações de comércio de bens e serviços (exceto serviços financeiros) e pagamentos de aposentadorias e pensões, além de transferências de pequeno valor.

No SML, o importador vai a uma instituição financeira credenciada para registrar a operação e efetivar a ordem de pagamento. A taxa de câmbio é negociada com a instituição financeira, que pode utilizar a taxa SML divulgada pelo Banco Central (BC).

O exportador fornece os dados bancários ao importador e recebe em sua conta corrente o valor das suas vendas. Não é necessário fechar contrato de câmbio. Segundo o BC, o sistema deve aumentar o nível de acesso de pequenos e médios agentes às transações entre os países e aprofundar o mercado Real/Peso Uruguaio. O acordo com o Uruguai vinha sendo negociado desde 2009, quando foi assinada uma carta de intenções entre os dois países.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave