Quem tem ação da Petrobras precisa de cautela e paciência

Escândalo ameaça permance dos papéis no mercado

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Petrobras. Notícias de corrupção abalaram confiança do mercado
Agência Petrobras/Divulgação
Petrobras. Notícias de corrupção abalaram confiança do mercado

Especialistas costumam dizer que o mercado de ações é para o investidor que têm estômago forte, já que ele pode oscilar e, logo, o ganho desta quarta pode ser a perda do dia seguinte. E em tempos de escândalos da Petrobras, que ultrapassam o território nacional e podem levar a terceira maior empresa do país a deixar de comercializar ações na Bolsa de Nova York, investidores questionam se devem comprar ou vender ações da maior companhia brasileira. O professor de economia da Fumec Fernando Nogueira afirma que a decisão de continuar ou não com os papéis da estatal, depende do perfil do investidor. “Quem já comprou há mais tempo as ações da Petrobras deve continuar com os papéis. Se não, vai acabar consolidando o prejuízo. Pois, a longo prazo, por causa do Pré-Sal, a companhia pode ter resultados melhores por volta de 2018, 2020”, analisa. Nogueira observa que 2015 será marcado por medidas recessivas, com aumento da carga tributária e tentativa de volta da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que ficou conhecida como o imposto do cheque. “Com déficit fiscal, juros altos e saldo de transações correntes com o exterior negativo, o governo federal ainda terá o desafio de retomar a credibilidade. Logo, será um ano complicado para se investir na Bolsa de Valores. A não ser que o investidor tenha um perfil mais agressivo e de longo prazo”, observa. Incerteza e paciência. O analista ressalta que os rumos da Petrobras hoje são incertos. “Há cerca de cinco anos, as ações estavam na casa dos R$ 40. Atualmente, estão no patamar de R$ 14. A imagem hoje da empresa está comprometida, sendo que nem a auditoria quis aprovar o balanço da companhia”, diz. O coordenador do curso de ciências econômicas da Newton Paiva, Leonardo Bastos, afirma que quem já possui ações da Petrobras deve continuar com elas. “É preciso ser paciente e esperar para a empresa reverter a situação, o que só deve acontecer a médio e longo prazos”, diz. Para ele, o momento não é para aquisição de ações da companhia. O professor de gestão de investimento e risco do Ibmec/MG Ricardo Couto afirma que atualmente não é recomendável adquirir ações da empresa e que há opções melhores como papéis do segmento financeiro (bancos). Sairá da bolsa? Couto observa que existe um temor de que a Petrobras deixe de negociar na Bolsa de Nova York, o que, se confirmado, poderá acelerar a descida dos papéis. Nesta quarta, a Bovespa terminou a sessão em baixa, pressionada pelo forte recuo de siderúrgicas e Vale, apesar de bancos e Petrobras também terem acabado no vermelho. Os papéis da Petrobras foram os responsáveis pelas mínimas na reta final da sessão, depois de terem apagado a alta que sustentaram durante todo o dia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave