Aquelas noites à base de sol

Cantor e compositor mineiro comemora 20 anos do emblemático disco “Noites com Sol” em shows no Teatro Bradesco

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Palco. Flávio Venturini interpreta o álbum “Noites Com Sol” em arranjos originais, além de releituras de Caetano Veloso e Edith Piaf
Rafael L G Motta
Palco. Flávio Venturini interpreta o álbum “Noites Com Sol” em arranjos originais, além de releituras de Caetano Veloso e Edith Piaf

Se há um sentimento que ronda Flávio Venturini nos últimos tempos é a nostalgia. Suas memórias estão afinadas precisamente ao dia 13 de novembro de 1994, 19h em ponto, ele e a banda de apoio no palco do Grande Teatro Palácio das Artes sendo ovacionados durante a noite de lançamento do disco “Noites com Sol” (Velas, 1994). Vinte anos depois, o cantor e compositor mineiro que fez parte da engrenagem do Clube da Esquina, do grupo O Terço, fundou o 14 Bis, e se lançou em carreira solo como um dos melodistas mais competentes do Brasil, homenageia um divisor de águas da carreira, em dois shows apresentados amanhã e sábado à noite, no Teatro Bradesco.

“As pessoas me perguntam o que é que tem nesse disco, de onde tirei as melodias. Foi um feito que marcou minha carreira e cravou minha marca na MPB, acredito, só tenho a agradecer àqueles que participaram desse projeto. Mas não sei como fiz, não houve um plano para o sucesso”, diz Venturini.

Lançado pela gravadora Vela, de Ivan Lins e Vitor Martins, “Noites de Sol” foi concebido praticamente sem percepção mesmo, enquanto Flávio Venturini frequentava o ateliê de pintura de Cielo Inaebnit, mãe do produtor Torcuato Mariano, para tocar canções no violão. Foi lá que ele recebeu o convite para trabalhar em um álbum solo novo, depois de ter despontado com o Clube da Esquina, gravado dois LP’s com o grupo O Terço, outros oito com o 14 Bis e mais quatro discos solo, incluindo “Flávio Venturini Ao Vivo” (1992), em uma primeira comemoração de carreira. “Eu estava comemorando alguns sucessos, mas mal sabia o que estava por vir. Se não fosse o ‘Noites Com Sol’, não teria Flávio Venturini hoje, apesar de o mercado é que parece ter ficado mais feliz do que eu com o disco, na época”, atesta o compositor aos risos.

O fato é que “Noites com Sol” não fez bem somente ao mercado fonográfico, ao emplacar duas canções em novelas globais – a faixa título na trama “Fera Ferida” e a clássica “Clube da Esquina Nº2” no enredo de “Quatro por Quatro” –, além de render o primeiro Disco de Ouro para Flávio Venturini. É que as 11 faixas do álbum dialogam com uma nova estética do pop não vista em cancioneiros solos da época, sem deixar escapar a veia romântica do artista – uma de suas principais características. O nome “Noites de Sol”, aliás, vem de uma contradição que Flávio Venturini se submeteu para gravar o álbum. “Eu falava muito mal do pop e fiz algo calcado nisso com a minha cara. Daí veio essa ideia de ter uma noite de sol no disco, porque realmente são canções solares, mas numa fórmula que eu rejeitava”, diz.

Assim, “Noites de Sol” carregou participações de Toninho Horta e Richie, expôs uma parceria frutífera entre Flávio Venturini e Ronaldo Bastos, que rendeu ao longo da amizade clássicos como “Todo Azul do Mar” e “Trem do Amor”, e as três principais canções do disco, “Noites Com Sol”, “O Que Tem de Ser” e “Nuvens”, esta última com base de samplers e programação eletrônica ousada para a época.

SHOW. No show, Flávio Venturini toca na íntegra as 11 canções que compõem “Noites de Sol”. “Vamos ser o mais fiéis possível aos arranjos. Queremos que quem veja o show sinta a provocação que o disco também causou”, avalia o músico.

Além disso, o artista inclui no repertório do show algumas das novas canções do seu mais recente disco, “Venturini”, gravado em sua própria casa, em um condomínio de Nova Lima, na região metropolitana. Para essa parte no setlist, chamam a atenção uma versão de Caetano Veloso (“O Leãozinho”), além de uma versão de Keko Brandão para um tema instrumental de Edith Piaf, e a regravação do clássico “Todo Azul do Mar”.

Agenda

O QUE. Flavio Venturini comemora 20 anos do álbum “Noites Com Sol” + “Venturini”

ONDE. Teatro Bradesco (rua da Bahia, 2.244, Lourdes)

QUANDO. Amanhã e sábado, às 21h

QUANTO. R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia-entrada)

Projetos

Novos. Além da turnê de 20 anos do álbum “Noites Com Sol”, Flávio Venturini se dedica ao lançamento de um Songbook com mais de 100 canções autorais e à gravação de um Blue-Ray em 3D com o grupo O Terço – o primeiro do tipo feito no Brasil. Todos os trabalhos devem ser lançados apenas a partir de 2015.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave