Morte em Várzea das Flores intriga a polícia

Delegacia de Homicídios diz que rosto desfigurado impede identificação de vítima

iG Minas Gerais | Evandro Teles |

Corpo em adiantado estado de decomposição foi levado para o IML de Betim
João Lêus
Corpo em adiantado estado de decomposição foi levado para o IML de Betim

A Delegacia de Homicídios de Betim ainda não conseguiu identificar uma vítima de homicídio cujo corpo foi encontrado na noite de anteontem no bairro Várzea das Flores, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações da assessoria de comunicação da Polícia Militar, o homem foi morto provavelmente por asfixia, e o corpo foi deixado na rua Taquaril, próximo a uma fazenda, pelo menos 36 horas antes de ser encontrado.

“Fomos acionados por uma denúncia anônima. Próximo ao local onde estava o corpo encontramos uma blusa azul, com detalhes em preto, e dentro dela havia um documento com o nome de Paulo Barboza da Cruz, de 27 anos”, informou um dos militares que participaram da ocorrência.

Segundo a Delegacia de Homicídios, não foi possível confirmar se o documento é mesmo da vítima, que estava com o rosto totalmente desfigurado. “Animais comeram parte da face do rapaz, então não podemos garantir que o documento seja da vítima. Só outros exames podem revelar sua identificação”, disse um policial.

A Delegacia de Homicídios aguarda o resultado de exames complementares na vítima para tentar identificá-la e, assim, iniciar as investigações sobre autoria e motivação do crime.

A Delegacia de Homicídios informou que já foram registrados 18 assassinatos em novembro, sendo o último deles o que vitimou o desconhecido anteontem. O número, no entanto, é inferior ao índice verificado em novembro de 2008, recorde deste mês nos últimos seis anos, quando ocorreram 26 mortes violentas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave