Cruzeiro será processado pelo STJD por carga de ingressos da final

Órgão entende que clube não cumpriu o regulamento, pois repassou uma quantidade inferior aos 10% previstos em lei

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Divulgação/Vipcomm
undefined

Mais um capítulo da novela que envolve a cota de ingressos para a segunda partida da final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anunciou que vai processar a Raposa por não ter repassado a carga de 10% dos bilhetes ao Atlético, para o jogo no Mineirão, como prevê o Regulamento Geral de Competições da CBF. 

O presidente do órgão, Caio Rocha, entende que o clube celeste foi ''irresponsável'' por ter iniciado a venda antes da definição do esquema de segurança para comportar a cota de atleticanos que o regulamento determina, neste caso os 10%. 

Mandante da partida, o Cruzeiro alega que a carga inferior aos 6.217 ingressos (1.813 foram destinados aos atleticanos) se deu por motivos de segurança, o que foi rechaçado pelo STJD. O valor das entradas também deveria ser o mesmo que os comercializados para os cruzeirenses

Como descumpriu a liminar concedida ao Atlético, na última sexta-feira, a Raposa será denunciada e processada nos artigos 191,211,213, 221, 223 e 243-A do Código Brasileiro da Justiça Desportiva.

As penas variam de multas de R$ 100 a R$ 100 mil, além de perdas de mandos de campo, suspensão de dirigentes, bem como anulação do resultado da partida, neste caso, da final da Copa do Brasil desta quarta-feira.

As punições podem ser cumulativas e, se acrescidas, são aplicadas ao clube e dirigentes. 

 

 

Leia tudo sobre: CruzeiroingressosAtléticoSTJDprocessoCopa do Brasilmegaclássico