Congresso adia para a próxima semana votação de manobra fiscal

Após sessão conturbada, presidente do Senado alterou para a terça-feira (02) nova sessão para colocar em pauta votação da meta fiscal de 2014

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Após sessão conturbada, com bate-boca entre parlamentares, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), adiou mais uma vez a votação da proposta que determina a mudança da meta fiscal de 2014.  A votação foi alterada para a próxima terça-feira (02).

Com o clima tenso no Congresso, em meio à xingamentos, Calheiros determinou o adiamento por considerar que não haveria quorum para dar continuidade à sessão da tarde desta quarta-feira (26).

Votação do Projeto de Lei (PL) 36/2014, que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), havia sido transferida para esta quarta-feira (26), por decisão de Calheiros.

Com a proposta do governo, a meta fiscal, hoje de ao menos R$ 81 bilhões, deixa na prática de existir, e o governo fica autorizado até mesmo a fechar o ano com as contas no vermelho. Na semana passada, o Planalto assumiu formalmente que não cumprirá a meta de poupar R$ 80,8 bilhões para o abatimento da dívida. A nova meta de superavit é de pouco mais de R$ 10 bilhões.

O governo prepara medidas de ajuste para conter as despesas nos próximos anos. Serão propostas mudanças nas regras de seguro-desemprego, abono salarial e pensão por morte.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave