Famílias são retiradas da Vila da Paz para reparos em viaduto do Anel

Estrutura foi atingida por dois incêndios no início do ano; desocupação também faz parte das adequações propostas para a rodovia

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

CRISTIANO TRAD/O TEMPO
undefined

Cerca de 20 famílias da Vila da Paz, bairro Universitário, região da Pampulha, foram removidos de suas casas sob o viaduto do Anel Rodoviário. O motivo é a manutenção da estrutura, atingida por dois incêndios no início do ano.

Conforme o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a remoção aconteceu em cumprimento a uma determinação da Justiça e se deu durante o fim de semana, quando terminou o prazo dado aos moradores. "As empresas já estavam contratadas, mas as moradias irregulares impediam a realização das obras, que consistem na recuperação da laje e pilar do Anel", disse a assessoria.

As intervenções preventivas devem durar 90 dias e sem qualquer prejuízo para o trânsito.

Essas famílias foram beneficiadas com o aluguel social, que será depositado em juízo pelo Dnit, ação também determinada pela Justiça. "Elas vão ficar no aluguel social até que sejam finalmente encaminhadas para programas de assentamento", explicaram. Ainda segundo o órgão, a desocupação foi pacífica e acompanhada por uma assistente social da Justiça Federal.

Essa primeira remoção, feita para reformas no entorno do viaduto, também faz parte da desocupação definitiva para as obras de adequação do Anel Rodoviário, uma parceria entre o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e o DNIT. As demais famílias serão retiradas posteriormente.

Leia tudo sobre: DnitDER/MGAnel RodoviáriaJustiça Federaldesocupaçãofamíliasobrasincêndio