Detento é chamado de estuprador, é agredido e mata preso em albergue

Homens cumpriam pena em regime semiaberto e, segundo outros albergados, vítima provocou o autor; suspeito, que tem 62 anos, fugiu após o crime

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

A Polícia Militar de Pompéu, na região Central do Estado, procura um detento de 62 anos que assassinou o colega de albergue, na noite dessa terça-feira (25). Os envolvidos na briga estavam em regime semiaberto, e o suspeito teria se revoltado após ser chamado de estuprador e ser agredido pela vítima.

Um agente penitenciário contou à Polícia Militar que, ao assumir o turno de trabalho, ficou sabendo de uma confusão entre dois albergados. Ao chegar no local do crime, o agente encontrou Anderson Clarindo de Oliveira, de 26 anos, sangrando. O jovem, que foi atingido a golpes de canivete no antebraço, costas e tórax, foi encaminhado ao hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

Outros ocupantes do albergue, que fica localizado na rua Cândido Alves de Souza, no bairro dos Cristos, disseram aos militares que estavam sentados aguardando os agentes para o recolhimento quando Oliveira chegou aparentado estar sob o efeito de drogas.

Sem motivo aparente, a vítima começou a xingar o suspeito, afirmando que, além de estuprador, o idoso era “safado”. Em seguida, o jovem ainda tentou arremessar uma bicicleta contra o outro detento. Ele foi contido pelos outros albergados, mas ainda agrediu o homem, que após cometer o assassinato fugiu.

A ocorrência foi encerrada na 13ª Delegacia de Plantão de Pompéu. O corpo de Oliveira foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). A reportagem de O TEMPO fez contato com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e aguarda um posicionamento da secretaria.

Idoso tentou evitar briga, mas vítima provocou

Ainda conforme o registro da polícia, testemunhas contaram aos policiais que, depois que Oliveira chegou xingando, o outro detento se levantou e foi para outro local. Ele não queria brigar com o jovem.

Porém, mesmo com o homem se distanciando, o jovem não se deu por satisfeito e foi atrás querendo brigar. No boletim consta que Oliveira deu dois tapas no rosto do colega, que, após a agressão, não se conteve e desferiu os golpes.  

Leia tudo sobre: brigadetentosalberguepompéu