Gran Viver tem bom momento e vai faturar R$ 200 milhões

Com boa quantidade de produtos aprovados e mais lançamentos, momento é de maturidade da empresa

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Guinada. A diretora da Gran Viver Fabíola Regadas diz que o crescimento da empresa acompanhou o desenvolvimento do mercado imobiliário
Lincon Zarbietti / O Tempo
Guinada. A diretora da Gran Viver Fabíola Regadas diz que o crescimento da empresa acompanhou o desenvolvimento do mercado imobiliário

A Gran Viver Urbanismo – empresa mineira que tem 30 loteamentos em 39 anos de atuação – faturou em 2010 R$ 50 milhões e, em 2013, a receita triplicou alcançando os R$ 150 milhões. Em 2014, a loteadora não vai parar de crescer, como muitos setores da economia, e tem previsão de aumentar o faturamento para R$ 200 milhões.  

E para 2015, o otimismo continua na empresa que faz parte do Grupo Seculus e que deve lançar em torno de R$ 380 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas), com pretensões de vender o equivalente a R$ 210 milhões. Motivos não faltam, de acordo com a diretora comercial e de marketing da Gran Viver, Fabíola Regadas. “Quem compra terra não erra”, ensina. Além disso, a empresa passa por um momento de maturidade com uma boa quantidade de produtos aprovados e mais lançamentos. “O mercado está favorável para o loteamento. Brasileiro tem o sonho da casa própria, e o lote tem mais liquidez que o apartamento porque o tíquete é menor”, explica. Então, a pessoa pode comprar um lote e decidir se vai construir ou se vai revender, o que, para Fabíola, dá muita solidez. Assim, a Gran Viver tem pronto um plano de metas para os próximos três anos. Até 2017, serão de oito a dez lançamentos. “Já temos terrenos e produtos para fazer esses lançamentos, mas podem surgir novos negócios”, conta a executiva. A Gran Viver tem R$ 4,8 bilhões em terrenos já adquiridos e em fase de aprovação – do planejamento e licenciamento ambiental – para os futuros lançamentos. “O foco é Minas Gerais”, informa Fabíola. Mas ela admite que tem terrenos em Macaé e Campos dos Goitacazes, ambos no Rio de Janeiro, em prospecção. E mais alguns terrenos no Espírito Santo e na Bahia, mas nada foi concretizado ainda. Além de três empreendimentos que estão sendo lançados nesses últimos meses de 2014, em 2015 serão outros nove loteamentos, entre abertos em bairro e residencial (condomínio) fechado em sete municípios mineiros. E não para por aí. A empresa inicia em 2015 a expansão com o primeiro lançamento – um loteamento – em Serra, no Espírito Santo. Quanto ao tamanho, Fabíola diz que, para a Gran Viver, a premissa é que um loteamento não tenha menos do que 400 mil m². “Quanto menor o lote, maior fica o preço do m²”, explica. Em Vespasiano, o Gran Park Toscana, por exemplo está a R$ 430 o m² para lotes de 400 m² enquanto em Lagoa Santa, num lote de 1.000 m², o m² custa R$ 200.

Solidez Formação. Além da Gran Viver, o Grupo Seculus tem: Banco Semear, Seculus da Amazônia, Seculus Swiss Made, Seculus Construções, Prime Systems, Seculus Empreendimentos, e Natureza e Reflorestamento. Lançamentos Três empreendimentos: Em Esmeraldas: Na região metropolitana de Belo Horizonte foi lançado no penúltimo fim de semana e já foram vendidos 90% dos lotes da primeira etapa. Em dezembro, novas cidades: Em Nova Serrana, com o Gran Park Nova Serrana. Em Prudente de Morais, com o Cidade Verde Prudente de Morais. Valor Geral de Venda dos lançamentos: R$ 63 milhões

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave