Camarões azuis teriam uma ligação com ETs

Seres vivem em condições precárias similares às de outros planetas

iG Minas Gerais |

Os bichinhos azulados vivem a 2.300 metros de profundidade
CHRIS GERMAN/ NASA
Os bichinhos azulados vivem a 2.300 metros de profundidade

RIO DE JANEIRO. Camarões que rastejam em torno de chaminés de rochas que expelem água quente, no fundo do mar do Caribe, podem ser uma pista essencial sobre os tipos de vida que podem existir em ambientes extremos de outros planetas, segundo a Nasa. A nova espécie de crustáceo, batizada como Rimicaris hybisae, vive em bando, aglomerada, em fontes hidrotermais submarinas a 2.300 metros de profundidade, onde as temperaturas chegam a 400ºC. A água ao redor das fontes, no entanto, é morna o suficiente para que o camarão possa viver nela. Esses camarões-vagalume, que brilham no escuro, se alimentam do carboidrato produzido pelas bactérias que vivem dentro das fendas. Eles são cegos, mas têm sensores térmicos na parte de trás de suas cabeças. E o que isso tem a ver com os alienígenas? Se essas bactérias podem sobreviver em condições tão extremas na Terra, talvez outros seres também sejam capazes de viver em ambientes semelhantes, em outros planetas, como, por exemplo, na gelada lua de Júpiter Europa, que tem um oceano subterrâneo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave