Epílogo regado por afeição

Apresentação de João Donato e Fernanda Takai marca fim da série de shows que comemora 80 anos do músico

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Desfecho. João Donato se despede da capital mineira depois de uma série de apresentações
Débora Amorim/Divulgação
Desfecho. João Donato se despede da capital mineira depois de uma série de apresentações

Nos últimos dois meses, João Donato tem seguido uma rotina semanal constante: sai de sua casa, no Rio de Janeiro, e vem a Belo Horizonte para ensaiar e apresentar um dos shows que celebram seus 80 anos de vida, no Centro Cultural Banco do Brasil.

Essa série, que contou com participação de convidados escolhidos pelo próprio músico – entre eles Marina de la Riva, Toninho Horta, Thiago Delegado, entre outros –, chega ao fim hoje, com a participação da cantora e compositora Fernanda Takai.

“Tem sido muito prazeroso e divertido fazer todos esses shows. O pessoal daqui é muito simpático, agradável e receptivo”, diz Donato, que completa: “Agora, vamos encerrar com chave de ouro com a presença da Fernanda Takai e com o jogo entre Cruzeiro e Atlético”, brinca.

O carinho pela companheira de palco nasceu ainda em 2008, quando os dois participaram do show que celebrou 50 anos do surgimento da bossa nova. “Acho que fizemos três canções juntos, se não me engano, e foi muito legal. Depois disso, ainda viajamos juntos por algumas capitais com (Roberto) Menescal. João é muito bacana, divertido e está sempre de bom humor”, diz Fernanda.

A postura do homenageado, no entanto, não é o único alvo de admiração de Fernanda. Para a vocalista do Pato Fu, há traços na música de João Donato que o tornam caro à história da música brasileira. A principal delas é habilidade de adaptar-se a sons originalmente distintos e, muitas vezes, distantes daqueles que o caracterizam e que estão por trás de sua carreira. Algo que também faz parte de sua trajetória. “Ele já fez parcerias com Martinho da Vila, Marisa Monte, Marcelo D2 e outros artistas diferentes entre si e dele. Assim, ele se comunica com ‘backgrounds’ diferentes e o faz com muita naturalidade. Acaba sendo uma forma de se reinventar constantemente”, opina.

Somado a isso, há traços técnicos que unem simplicidade e sofisticação. “Ele consegue trabalhar com poucos elementos e criar canções com equilíbrio entre harmonia e melodia e, quando trabalha com um artista pop, se adequa ao som muito bem. Claro que, quando ele quer, consegue ser muito rebuscado. É um músico a serviço da canção”, afirma Fernanda.

João também passeia por predicados positivos ao falar da colega. “Ela é muito delicada, doce e tem uma voz muito favorável para a bossa nova”, diz.

O elo entre os dois aponta para uma apresentação auspiciosa ao deleite do público mineiro, que presenciará a execução de um repertório variado. “Ele deixou que eu escolhesse todas as músicas. Optei por aquelas que gosto de cantar e que estou familiarizada. Antes de terminar a seleção, procurei saber quais haviam sido as músicas das outras apresentações para não repetir”, revela Fernanda.

Uma música que não poderia faltar (e nem vai) é “Nagoya”. A obra, assinada pelos protagonistas do espetáculo, foi finalizada enquanto viajaram juntos na turnê de 2008. “João virou para mim e disse que tinha uma música instrumental inspirada no Japão. Eu ouvi e pedi a ele para ‘deixá-la’ comigo para estudá-la mais e ver o que poderia fazer. Daí, como já estive no país algumas vezes, resolvi falar sobre algo que me marcou: o fato de ser comum acordar em uma cidade e dormir em outra. É sobre isso que a música fala”, adianta Fernanda.

Agenda

O quê. João Donato e banda convidam Fernanda Takai

Quando. Hoje, às 20h

Onde. Centro Cultural Banco do Brasil (praça da Liberdade, 450, Funcionários)

Quanto. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave