Suíça diz que colabora na investigação sobre desvios na Petrobras

Três procuradores brasileiros que integram a força-tarefa que apura desvios foram até o país para tentar agilizar remessa de recursos bloqueados e a descoberta de novas contas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Ministério Público da Suíça disse em nota nesta terça-feira (25) que vai colaborar com as investigações da Operação Lava Jato. Três procuradores brasileiros que integram a força-tarefa que apura desvios na Petrobras foram até aquele país para tentar agilizar a remessa de recursos bloqueados e a descoberta de novas contas.

Um dos objetivos dos procuradores brasileiros é repatriar US$ 23 milhões que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa tem em contas secretas naquele país e que ele se comprometeu a devolver no acordo de delação premiada.O doleiro Alberto Youssef confessou que tem US$ 5 milhões naquele país, que ele devolverá à União.

Os procuradores buscam também contas de outros réus e suspeitos da Operação Lava Jato, como o ex-diretor de serviços Renato Duque, preso no último dia 14 sob acusação de cobrar propinas de empreiteiras para assinar contratos. Na nota, o Ministério Público suíço diz que partiu daquela instituição a oferta de ajudar o Brasil.

As contas que escondiam dinheiro desviado da Petrobras foram localizadas por procuradores suíços, ainda segundo a nota. O escritório do procurador-geral da Suíça iniciou as investigações criminais sobre os desvios de Paulo Roberto Costa na Petrobras em 10 de abril deste ano, 23 dias depois de a Operação Lava Jato ter sido deflagrada pela Polícia Federal.

A Suíça tem um acordo com o Brasil pelo qual os procuradores dos dois países podem tratar de repatriamento de recursos diretamente, sem a intermediação de órgãos federais. Aquele país decidiu combater a presença de dinheiro de origem criminosa em seus bancos porque estão depositados lá cerca de 30% das fortunas legais do mundo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave