Justiça revoga prisão de falsa biomédica em GO

Para o juiz, o fato de ela nunca ter cometido um crime, ter bons antecedentes e residência fixa elimina a suspeita de que ela seja uma “ameaça à ordem pública”, como defendeu a procuradoria

iG Minas Gerais |

Goiânia. A falsa biomédica Raquel Policena Rosa, 27, teve sua liberação ordenada pelo juiz Eduardo Pio Mascarenhas da Silva, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, que determinou a revogação da sua prisão preventiva. Ela é acusada, junto com o namorado, Fábio Justiniano Ribeiro, 33, da morte da ajudante de leilão Maria José Medrado, 39, que ocorreu horas após uma aplicação de hidrogel para aumentar o bumbum. O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) informou que a mulher pode ser solta ainda nesta tarde.

Para o juiz, o fato de ela nunca ter cometido um crime, ter bons antecedentes e residência fixa elimina a suspeita de que ela seja uma “ameaça à ordem pública”, como defendeu a procuradoria. Ele ainda chamou a atenção para o fato de que ela tem colaborado com as investigações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave