Gramado do Mineirão pode sofrer com novos alagamentos na final

Escoamento da água nas laterais, com o atual sistema de drenagem, é mais lento; problema deverá ser sanado no fim da temporada

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Momentos antes de a bola rolar para Cruzeiro x Goiás, gramado do Mineirão estava completamente encharcado
WEBREPÓRTER/SUPERFC
Momentos antes de a bola rolar para Cruzeiro x Goiás, gramado do Mineirão estava completamente encharcado

Os problemas de alagamento em algumas partes do gramado no Mineirão, ocorridos no jogo entre Cruzeiro e Goiás, podem se repetir, caso volte a chover forte, no clássico desta quarta-feira, na decisão da Copa do Brasil. A Minas Arena, consórcio que gere o Gigante da Pampulha, afirmou que o escoamento da água nas laterais, com o atual sistema de drenagem, é mais lento e que o problema só deverá ser sanado durante o recesso de jogos, no fim da temporada.

Conforme a empresa, o gramado foi construído seguindo o caderno de encargos da Fifa e é constantemente vistoriado por técnicos. As poças acabam se formando por causa de uma das fibras colocadas no piso. “Uma fibra colocada no gramado por determinação da Fifa faz com que em uma área específica do campo do jogo, na lateral, a drenagem da água da chuva ocorra de forma mais lenta”.

O Consórcio informou o campo de jogo é composto por duas gramas: a de inverno e a de verão. O não crescimento da primeira, pela escassez de chuva na capital por um certo período, teria contribuído para piorar a situação da grama. “O esperado por especialistas era que a grama de inverno plantada no estádio para a Copa do Mundo resistiria até o fim da temporada dos campeonatos nacionais, o que não se confirmou devido ao prolongado período sem chuvas em Belo Horizonte, gerando um aspecto diferente do que o público está acostumado a acompanhar no Mineirão”.

Por fim, a Minas Arena espera, com a interrupção dos jogos no fim do ano, melhorar o sistema de drenagem e o gramado do Mineirão. “A concessionária irá utilizar o período de recesso do futebol, para realizar os ajustes e trabalhos necessários para que o campo volte a ter um perfeito escoamento da água e a qualidade que sempre apresentou”.

Leia tudo sobre: futebol nacionalgramadomineirãofinalcopa do brasilalagamentominas arena