Fernando Henrique diz receber salário 'razoável' como professor na USP

FHC afirmou que só recebe vencimentos da USP, no valor de R$ 22.151, e não como ex-presidente da República

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Repressão ao usuário deveria dar lugar a prevenção e tratamento, diz ele
Wilton Junior/Agëncia Estado - 11.2.2009
Repressão ao usuário deveria dar lugar a prevenção e tratamento, diz ele

Após seminário na manhã desta segunda-feira (24) na USP, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) comentou a publicação dos salários pela instituição, da qual é professor catedrático.

FHC disse crer que a disparidade é "grande em função de decisões judiciais, mas não de discricionariedade". Ele afirmou que só recebe vencimentos da USP, no valor de R$ 22.151, e não como ex-presidente da República.

"Todo mundo reclama de salário, que é baixo. Acho o meu razoável. Comparado com o que se ganha no setor privado, aí significa muito, porque a aposentadoria do INSS é muito baixa. Não é a USP que é alta, o outro [INSS] que é baixo."

Fernando Henrique também lecionou em universidades de renome internacional como Princeton e Cambridge. Segundo ele, especialmente nos Estados Unidos, os salários de docentes são definidos em função da produtividade. "Claro que pode levar a exageros, distorções, uns ganharem muito e outros pouco. Mas o importante é ter algum critério de meritocracia."

Segundo o ex-presidente, a USP vai nessa direção porque os melhores salários de docentes são os de titulares, que possuem maior número de produções científicas -teses de mestrado, doutorado, livre-docência.

Durante o seminário em comemoração aos 80 anos da USP, FHC criticou a "moda" de fazer a graduação fora do país. "Parece que há até certo exagero." Para Fernando Henrique, não há necessidade de fazer toda a formação superior no exterior devido aos bons cursos ministrados, por exemplo, na USP.

No entanto, FHC considerou que a língua portuguesa é um "handicap" [desvantagem] para o Brasil. "Quem tem como primeira língua o inglês tem uma vantagem enorme. Quem não domina as línguas inglesa e espanhola, afirmou, "está um pouco fora do eixo da produção cultural contemporânea". "Quem é bom é internacional, é global, não precisa fazer força. É sugado pela globalidade. E o resto? Tem que ter extensão. Não tem como escapar", completou, ao explicar por que considera fundamental uma universidade de excelência investir em cursos de aperfeiçoamento, atualização, difusão e especialização.

Fernando Henrique ainda acrescentou a USP não contabilizou nenhum prêmio Nobel por questões políticas. "A operação não é só científica." Ele lembrou que recebeu o prêmio Kluge, concedido pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos e considerado o Nobel das Ciências Sociais. "Ganhei porque fui presidente da República."

FHC elogiou a equipe que ele liderou na elaboração do Plano Real. "Por muito menos, outras pessoas ganharam o Nobel. Se foi escrito em inglês vale X. Se não foi escrito em inglês vale X menos dez."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave