Último foragido da Lava Jato deve se entregar nesta segunda

Comunicado, feito por meio de sua defesa, afirma que Adarico Negromonte Filho "não suporta mais as mazelas decorrentes da prisão temporária", decretada no último dia 14

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O último foragido da Justiça na sétima fase da Operação Lava Jato, Adarico Negromonte Filho, irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte (PP), informou na última sexta-feira (21) à Justiça que deverá se apresentar à Polícia Federal nesta segunda-feira (24) na sede da Superintendência do Paraná, em Curitiba.

No comunicado, feito por meio de sua defesa, as advogadas Joyce Rosen, Denise Nunes Garcia, Débora Motta Cardoso e Karen Toscano Mielenhausen afirmam que Adarico "não suporta mais as mazelas decorrentes da prisão temporária", decretada no último dia 14.

Segundo a petição, o investigado estava em sua casa em Registro, no interior de São Paulo, desde que a ordem de prisão foi expedida, mas não foi procurado pela PF. Adarico foi apontado como "encarregado de transporte de valores em espécie" e "subordinado de Alberto Youssef [doleiro]", segundo decisão do juiz federal Sérgio Moro.

Carlos Alberto Pereira da Costa, representante da GFD Investimentos, empresa de fachada controlada por Youssef, disse que Adarico transportou "malas e sacolas" no escritório de Youssef.

"Quanto a Adarico, a representação não apresenta tantas provas, mas além do depoimento acima [de Carlos], o nome dele como responsável pelas entregas de dinheiro é informado em troca de mensagens telemáticas entre Youssef e seus clientes", escreveu Moro em sua decisão.