MPF prepara 1ª ação contra 11

Força-tarefa já tem provas para denunciar executivos de seis empreiteiras, além de Costa e Youssef

iG Minas Gerais |

Corrupção. Paulo Roberto Costa será acusado, junto com o doleiro Alberto Youssef e os 11 executivos
ED FERREIRA
Corrupção. Paulo Roberto Costa será acusado, junto com o doleiro Alberto Youssef e os 11 executivos

Brasília. A força-tarefa da operação Lava Jato considera ter provas para pedir a condenação de 11 executivos das empreiteiras Camargo Corrêa, OAS, Mendes Júnior, Galvão Engenharia, UTC Engenharia e Engevix, como parte do esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa envolvendo o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef.

A acusação trata do braço do PP no esquema de propina de 1% em grandes contratos da estatal, via diretoria de Abastecimento, entre 2009 e 2014. É a primeira denúncia envolvendo empreiteiros. O plano da força-tarefa é fazer outras, usando indícios contra os demais partidos citados no escândalo, como PT e PMDB.

Essa primeira peça trará ainda elementos fundamentados principalmente no esquema que teria atuado em duas grandes obras da estatal: a refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

A denúncia será apresentada pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal de Curitiba até a segunda semana de dezembro. O juiz federal Sérgio Moro tem até 20 de dezembro, quando começa o recesso do Poder Judiciário, para decidir se aceita e torna réus os acusados ou se rejeita a peça.

Os 11 executivos presos cautelarmente na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 14 serão acusados formalmente, junto com Costa e Youssef, por lavagem de dinheiro e corrupção.

Argumentos. Os procuradores sustentarão que as empresas do “clube” agiam por ato de ofício ao se organizarem para discutir os contratos e pagamentos que lhes rendiam vantagens. Para os investigadores, não houve prática de extorsão, mas um crime cometido de maneira organizada, com divisão de funções, continuadamente e com fins comuns.

A acusação vai contra a estratégia jurídica da defesa das empreiteiras, colocada em curso neste mês, para apontar suposta “extorsão” por parte de Youssef e Costa. A argumentação visa desqualificar os depoimentos de delatores da Lava Jato.

A denúncia apontará que os executivos usaram conscientemente a “lavanderia” criada por Youssef que enviava valores ao exterior. Outros dois depoimentos de delatores que serão levados em conta são os dos executivos do grupo Toyo Setal, Julio Gerin Camargo e Augusto Mendonça Ribeiro Filho, que admitiram ter pago propina, apontaram contas no exterior dos acusados e confirmaram a existência do “clube” de empreiteiras e a combinação de contratos.

Possíveis réus

Executivos que devem ser os primeiros denunciados:

Camargo Correa Eduardo Hermelino Leite

Dalton dos Santos Avancini

João Ricardo Auler

OAS José Aldemário Pinheiro Filho

Mateus Coutinho de Sá Oliveira

José Ricardo Nogueira Breghirolli

Agenor Franklin Magalhães Medeiros

Mendes Junior

Sergio Cunha Mendes

 

Engevix  

Gerson de Mello Almada

Galvão Engenharia

Erton Medeiros Fonseca

UTC

Ricardo Ribeiro Pessoa

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave