Problema social não é o dos muito ricos, mas o dos muito pobres

iG Minas Gerais |

DUKE
undefined

O comunismo passou pela história, assim como o feudalismo e o absolutismo. Marx teve sucesso com a sua filosofia da luta de classes porque, no seu tempo, as coisas eram diferentes. Os patrões escravizavam seus empregados, que morriam de inveja deles. E uma das causas do fracasso do comunismo é justamente porque o sonho de todo mundo é ser rico! A riqueza que se consegue com honestidade, esforço, muito trabalho e muita economia é moral. O imoral é o enriquecimento por meios ilícitos de roubo e corrupção, como acontece muito com os políticos corruptos do Brasil. No Irã e na China, a corrupção é punida com a pena de morte, o que é também um erro, mas as nossas leis precisam ser mais rigorosas com os políticos corruptos! E é correto que aqueles que possuem bens legitimamente adquiridos possam transferi-los para quem eles quiserem. O problema social é o fato de existirem pessoas muito pobres ou miseráveis. E o fato de umas serem muito mais ricas é mesmo até melhor para a sociedade, pois elas pagam mais impostos, que, bem administrados, transformam-se em benefícios para todos os cidadãos: na saúde pública, educação, estradas etc. Mas no Brasil, ultimamente, os muitos recursos provenientes dos impostos têm sido mal-empregados, pois são desviados para outros fins. Um exemplo disso são os empregos em excesso de funcionários públicos apadrinhados por políticos corruptos no poder. Outro exemplo é o caso da operação Lava Jato. Os empresários, para pegarem serviços com altos preços pagos pela Petrobras, deram propinas para petistas afilhados de poderosos petistas no poder, que os protegem o máximo que podem, até que a mídia, a nossa salvadora mídia, ponha para fora toda a sujeira petista. Mais um erro grave do poder atual é o desvio de nosso dinheiro para ajudar outros países, quando o Brasil precisa tanto dele para resolver os problemas da nossa caótica saúde pública e das nossas não menos caóticas estradas, que estão em total e criminoso abandono, matando gente todo dia! E não se duvida de que o principal objetivo desse governo de criar o programa Mais Médicos tenha sido o de ajudar o regime ditatorial e falido de Cuba que ele quer implantar no Brasil! E a chamada “preferência” dos líderes políticos e religiosos para os pobres, geralmente, nada mais é do que uma simpatia deles para com a ideologia estatal e uma defesa de seus próprios interesses. É que, frequentemente, esses políticos e líderes religiosos estão querendo mesmo é ganhar mais adeptos para seu partido e sua religião, pois os pobres representam a maioria da população. Na verdade, as autoridades políticas e religiosas devem defender o interesse de todos os cidadãos, a exemplo de Deus, que não faz acepção de pessoas (Atos 10: 34). Jesus tinha uma atitude preferencial para com os muito pobres porque tinha pena deles, que, para Ele, não deveriam existir. Mas pobres ou não ricos sempre haverão, inclusive por opção! “Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes” (Mateus 26: 11). Para a Bíblia, ser próspero e bem sucedido, de acordo com a lei de causa e efeito, é uma recompensa (Josué 1: 8). De acordo com a justiça divina da citada lei cármica, em determinadas reencarnações, uns merecem mesmo ser pobres, não muito pobres ou miseráveis, o que é um problema social injusto, mas apenas pobres ou não ricos! Recomendo “Espiritismo Fácil”, de Luis Hu Rivas, Boa Nova Editora, Catanduva, SP, 2014.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave