Filé virou ‘bacalhau da Amazônia’

iG Minas Gerais |

Tefé. “A pesca do pirarucu não é para qualquer um, mas apreciamos cada parte do peixe”, disse o pescador da comunidade de São Francisco da Capivara Henrique Alcione Batalha, 46, durante um jantar com sua família em que comiam vísceras e cabeça de pirarucu.

Mas o maior comércio é o da carne de pirarucu, consumida há séculos em cobiçados filés, considerados uma iguaria na região. Os maiores podem render mais de R$ 500 cada, quando vendidos inteiros, reforçando a renda das famílias que subsistem do peixe que pescam.

O pirarucu salgado não tem o sabor sutil da versão fresca, mas sua popularidade vem crescendo em várias regiões do Brasil. Ele é comercializado como “bacalhau da Amazônia” em uma tentativa de competir com o bacalhau pescado na Noruega e importado no Brasil. (SR/NYT)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave