Ator diz que gostaria de viver Magneto

Arquivilão do “X-Men” é um dos papéis que Hugh Jackman gostaria de interpretar na nova fase da carreira

iG Minas Gerais | Patrick Healy The New York Times |

No palco. Hugh Jackman e Cush Jumbo em “The River,” no Circle in the Square, em Nova York
SARA KRULWICH
No palco. Hugh Jackman e Cush Jumbo em “The River,” no Circle in the Square, em Nova York

NOVA YORK, EUA. Atuar em uma obra de um dramaturgo importante como Jez Butterworth era algo que Hugh Jackman desejava desde o projeto “Houdini”, que passou nas mãos de diversos compositores e roteiristas. “Quando uma peça nova funciona e as pessoas ficam sabendo, a sensação é incrível. É a melhor coisa que existe. E eu adoro ter a sensação de que fiz parte do público que foi ao Globe pela primeira vez para assistir ‘O Mercador de Veneza’”.

“Eu também pensei em (Paul) Newman e (Richard) Burton, em como eles sempre atuavam em peças novas para se manterem afiados. Burton fez até parte do elenco original de ‘Equus’ na Broadway como ator substituto, o que é algo muito incomum para uma estrela dessa envergadura”. Questionado se cogitaria ser o substituto em alguma peça, ele afirmou que havia um papel que o atraía: o pai gay enrustido que comete suicídio em “Fun Home”, que vai estrear na Broadway no ano que vem. “É um personagem fabuloso”, afirmou.

Jackman obviamente sente o peso de tantos personagens sombrios. Ele contou que ficou contente em participar da seleção para o personagem Jean Valjean, no musical “Les Misérables”, e que se pudesse fazer outro personagem nos “X-Men”, seria o arquivilão Magneto (interpretado nos filmes por Ian McKellen).

Ele também está animado com o fato de “The River” estar em cartaz no menor teatro em que atuou desde que se formou na escola de teatro na Austrália, o Circle in the Square, de 650 lugares. A produção, que está se saindo muito bem, oferece assentos que permitem que alguns espectadores fiquem a poucos metros de Jackman.

“Estar tão perto do público exige uma enorme sinceridade, porque é muito fácil perceber que aquilo se trata de uma atuação. Mas é uma via de mão dupla. A primeira peça que assisti na Broadway foi ‘Hughie’, com o Al Pacino (em 1996 no Circle in the Square). Eu me levantei às 5h da manhã para comprar os ingressos, mas a Deb (Deborrah-Lee Furness, com quem é casado desde 1996) dormiu depois de 20 minutos de peça. Al tinha um monólogo longo em que estava bêbado e, juro por Deus, ele não parava de olhar para a Deb enquanto falava. Estava furioso”.

Se alguém cochilar enquanto assiste “The River”, o cheiro de truta fresca sendo limpa e cozida deve ser um bom despertador. Jackman é o mestre-cuca durante a longa cena. Ele não gosta muito de pescar, mas foi com filho recentemente até Montana enquanto se preparava para “The River”, e Oscar foi o único a pescar. Recentemente, Jackman começou a limpar e preparar peixes em casa, seguindo o conselho de um chef de cozinha seu amigo e preparando vários peixes para o jantar.

“Esses dias preparei quatro peixes lá em casa, e eles ficaram muito bons. Fazia muito tempo que eu não preparava minhas refeições. Mas aos 46 anos é bom experimentar coisas novas, nem que seja limpar uma truta”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave