Com a vantagem, Levir pensa na melhor estratégia para chegar ao título

Treinador começa a montagem da equipe titular para a partida contra o Cruzeiro nesta segunda-feira, na Cidade do Galo

iG Minas Gerais | DIEGO COSTA |

Levir Culpi sonha com mais um título de Copa do Brasil em seu currículo
NIDIN SANCHES / O TEMPO
Levir Culpi sonha com mais um título de Copa do Brasil em seu currículo
Nos últimos dois anos, o Atlético desafiou o impossível. Em desvantagem em jogos decisivos, o time alvinegro conseguiu se superar na Libertadores e Copa do Brasil para fazer história. E a ofensividade da equipe foi a marca desses momentos. No segundo jogo da final a Copa do Brasil, o clube chega do outro lado do balcão. E agora, como grita a torcida nas arquibancadas, será que o Galo “vai para cima deles” (do Cruzeiro), ou se apoiará na vantagem que tem?

Com a vitória por 2 a 0, no primeiro jogo, na Arena Independência, o time de Levir Culpi sabe bem o tamanho da dianteira que tem na briga pela taça. Mas a lista de equipes que, também cientes disso, jogaram retrancadas no segundo confronto e fracassaram diante do próprio Galo tem quatro expressivos nomes: Newell's Old Boys-ARG (que foi mais ofensivo), Olímpia-PAR, Corinthians e Flamengo.

Desde que voltou ao Atlético, o treinador aposta no jogo para frente, procura sufocar os adversários. O esquema com um volante é prova disso. Após a derrota do último sábado, contra o Internacional, por 2 a 1, o time se reapresenta na tarde desta segunda, na Cidade do Galo. Levir começará a montagem da equipe titular. Ele já não conta com o volante Josué, suspenso. A dúvida será justamente no meio-campo, sobre o número de volantes que começam o embate.

Em uma temporada desgastante, o grupo titular chega com um pequeno descanso, já que os atletas foram poupados da última partida, diante dos gaúchos. A expectativa fica por conta do meia-atacante Luan, que sofreu uma pancada nas costas contra o Flamengo, no Brasileirão. O jogador não deve ser problema para o megaclássico desta quarta-feira. Acima de qualquer questão tática, o discurso entre os jogadores é de cautela e respeito ao Cruzeiro.

“A gente sabe que praticamente as duas equipes estão vivendo o melhor momento do futebol brasileiro. Isso deve ser enaltecido. Então, é ir preparado para uma ‘guerra’, para um jogo de muita dificuldade. É ter atenção ao máximo. Tenho certeza que se a equipe manter a mesma humildade e a pegada, o time será campeão”, disse o volante Pierre.

 

Leia tudo sobre: AtléticoGalofutebolCopa do Brasilmegaclássicovantagemfinal