Chuva faz a festa dos vendedores de capas antes de Cruzeiro e Goiás

Comerciantes lucraram bastante com a venda do produto; água que caiu não desanimou a confiante torcida celeste

iG Minas Gerais | Daniel Ottoni |

Torcida celeste teve que buscar refúgio em marquises para fugir da chuva
Web Repórter
Torcida celeste teve que buscar refúgio em marquises para fugir da chuva

O céu escuro já anunciava quem estava por vir. Por volta das 14h, uma incessante chuva começou a cair nas proximidades do Mineirão, pegando muitos de surpresa. O local será palco do jogo entre Cruzeiro e Goiás, às 17h, embate que pode dar ao time mineiro o quarto título do Campeonato Brasileiro.

Quem não achou ruim a água que caía do céu foram os vendedores de capas transparentes, que lucravam bastante com o produto, comercializado a R$ 5.

A chuva forçou os cruzeirenses a buscar abrigo, em marquises e debaixo de árvores. Os bares ao redor também foram uma boa opção para não se molhar. Apesar disso, a animação e euforia celeste eram grandes.

“Essa água não vai estragar a festa de hoje, nem a de quarta. Venceremos o Goiás por 3 a 0 e o Galo por 4 a 1. Eles também vão sentir na pele o que é perder de 4”, brinca o comerciante Rodrigo Abras, referindo-se às vitórias do rival, na Copa do Brasil, sobre Corinthians e Flamengo.

Para ele, o time deve entrar com tudo nas duas competições, aproveitando que a temporada está chegando ao fim. “Se eles conseguirem as duas taças, terão férias gordas. Eles sabem disso e vão dar o seu máximo nestes dois jogos, que são decisivos”, comenta.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave