Mais um capítulo para tantas páginas heroicas e imortais

Título nacional pode ser comemorado até em caso de derrota, desde que o São Paulo não vença

iG Minas Gerais | Josias Pereira |

Orgulho azul. Torcedor cruzeirense está louco para fazer uma bela festa no Mineirão e soltar o grito de tetracampeão brasileiro da garganta
Alex e Jesus/O Tempo
Orgulho azul. Torcedor cruzeirense está louco para fazer uma bela festa no Mineirão e soltar o grito de tetracampeão brasileiro da garganta

Eis que chega o dia de escrever mais uma página heroica e imortal. O Cruzeiro enfrenta hoje o Goiás, no Mineirão, a partir das 17h, com a missão de brindar sua torcida com uma simples vitória e sacramentar uma história que vem sendo construída desde a sexta rodada do Campeonato Brasileiro, jornada em que a Raposa tomou a liderança para nunca mais largar. Falta pouco para a China Azul soltar o grito de tetra. Um título que premia a regularidade de um plantel que não se cansa de quebrar marcas e quer estabelecer, de uma vez por todas, a dinastia celeste no país do futebol.

“Esse título vai consolidar a campanha do melhor time, aquele que manteve uma estabilidade ao longo de toda a competição, que é dono de um elenco vasto, muito bem organizado, com jogadores excepcionais, e tem um treinador que possui o grupo nas mãos”, avalia o ídolo azul Tostão.

Afinal de contas, ser campeão brasileiro de forma consecutiva é para poucos clubes. Com o feito, a Raposa entrará em uma seleta lista que tem apenas a presença de Santos, Palmeiras, Internacional, Flamengo, Corinthians e São Paulo.

“Este grupo está escrevendo uma história com pena de ouro. A gente fica feliz ao ver tudo isso acontecendo, ainda mais quando olhamos para trás e lembramos da equipe de 1966. Um time que tirou o Cruzeiro do cenário regional, e o projetou nacionalmente e internacionalmente”, diz o ex-jogador Piazza, um dos maiores nomes da história da agremiação.

O clima de euforia está no ar. Mas nada de celebração antes da hora. Com a experiência de quem já esteve lá, no relvado sagrado, os grandes craques da história celeste alertam para a seriedade com que a partida deve ser encarada nesta tarde. Não existe confronto ganho antes de a bola rolar e de o árbitro apitar o término.

“O futebol prega muitas surpresas. O torcedor está indo no embalo, na festa que eles têm mesmo de fazer, mas é preciso respeitar muito quem está do outro lado. O Goiás não é bobo”, ressalta o ex-lateral Nelinho.

Porém, apesar da cautela, todos têm em mente que esse plantel não deixará a chance passar e que uma bela festa será feita no Gigante da Pampulha. “Embora o Goiás seja um adversário que exija preocupações, o Cruzeiro tem um grupo mais forte e não vai deixar escapar a oportunidade de conquistar o título em casa”, aponta Piazza.

O tetra é logo ali. E o futuro pode ser ainda mais azul e estrelado. “O Cruzeiro vem mostrando a importância do planejamento. A base está pronta e não me surpreenderei se esse time continuar lutando por mais títulos nos próximos anos”, finaliza Tostão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave