Pierre não se irrita com reserva e se coloca à disposição para final

Jogador ressaltou que toda a sua história no clube já serve como base para o técnico Levir Culpi ficar mais tranquilo caso precise de seus trabalhos

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Pierre está pronto para o desafio de fortalecer o meio-campo alvinegro na grande decisão da Copa do Brasil
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Pierre está pronto para o desafio de fortalecer o meio-campo alvinegro na grande decisão da Copa do Brasil

No Atlético desde 2011, o volante Pierre encara uma nova realidade no clube alvinegro. Acostumado a estar entre os titulares, o meio-campista irá ser acionado para iniciar a partida contra o Internacional neste sábado na equipe considerada reserva, já que o foco principal neste momento é a decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro no próximo dia 26.

Apesar de, teoricamente, ver a vaga perdida para Rafael Carioca para a final do torneio mata-mata, Pierre mostra-se à disposição para este importante duelo, ressaltando que toda a sua história no clube já serve como base para o técnico Levir Culpi ficar mais tranquilo se precisar de seus trabalhos.

“Tenho encarado de maneira natural (a reserva). O bacana de tudo aqui é o respeito entre os jogadores. Somos todos amigos, temos de respeitar o momento de todos. Não podemos nos acomodar no banco de reservas, ainda mais um jogador que é acostumado de jogar. São mais de 160 partidas jogadas... Procuro de alguma maneira aproveitar a partida de sábado”, disse Pierre após o treino desta manhã de sexta-feira.

"Jogar todos os atletas sonham, ainda mais uma final. Quero ajudar de alguma maneira. O que eu já fiz no Atlético já é o suficiente para o Levir confiar no meu trabalho. É uma oportunidade contra o Internacional; é buscar os três pontos e ficar com a confiança bem elevada para quarta-feira", completou.

Para a partida contra o Internacional, às 19h30, no Beira Rio, o técnico Levir tende a colocar em campo: Victor; Alex Silva, Edcarlos, Tiago e Pedro Botelho; Pierre, Josué, Eduardo e Daniel; Dodô e Marion.

Leia tudo sobre: futebol nacionalatléticogalopierre