Relações entre Rússia e Europa não serão como antes, diz Lavrov

Depois que a Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia, a União Europeia adotou uma série de sanções contra Moscou

iG Minas Gerais | Da redação |

O ministro dos Assuntos Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, disse hoje (22) que Moscou não se nega a cooperar com a União Europeia, mas advertiu que as relações não voltarão a ser como antes.

"A União Europeia é nosso principal sócio coletivo. E ninguém pensa em dar um tiro no pé, em renunciar à cooperação com a Europa, mas todos compreendem que já é impossível ser como antes", disse Lavrov, segundo a agência RIA Novosti, numa reunião do Conselho de Política Exterior e de Defesa.

Ao mesmo tempo, o chefe da diplomacia russa disse acreditar que a Rússia e a Europa superarão a crise atual e criarão uma nova base para suas relações.

Depois que a Rússia anexou, em março, a península ucraniana da Crimeia, a União Europeia adotou uma série de sanções contra Moscou, endurecidas progressivamente depois do início da sublevação armada pró-russa no leste da Ucrânia.

A tensão na fronteira com a Ucrânia prossegue. Neste sábado (22), o ministro ucraniano da Defesa ucraniano, Stepan Poltorak, denunciou a presença de 7.500 soldados russos no leste do país e prometeu aumentar o contingente militar.

Ao final de julho, a UE decidiu restringir o acesso dos bancos públicos russos aos mercados de capitais europeus, criar um embargo armamentista, proibir a exportação para a Rússia de produtos que possam ter uso militar e vetar as exportações de equipamento para o setor petroleiro.

Em resposta, a Rússia proibiu as importações de alimentos vindos dos países da União Europeia. 

Folhapress

Leia tudo sobre: RússiaUnião Europeia