Brasil gera menos energia por causa do período seco

Hidrelétricas produziram menos, e termelétricas, mais

iG Minas Gerais |

Bons ventos. Parques eólicos tiveram crescimento de 58% no mês
Rick Bowmer
Bons ventos. Parques eólicos tiveram crescimento de 58% no mês

São Paulo. A geração de energia elétrica no País atingiu 61.372 MW médios no acumulado de novembro até o dia 17, com queda de 2,6% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados constam da edição semanal do InfoMercado, boletim da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Apesar de ainda liderar a geração no Sistema Interligado Nacional (SIN), com 65,1% de participação, que correspondem a 39.943 MW médios, o total gerado pelas hidrelétricas caiu 12,9% na comparação com igual mês de 2013.

Essa queda foi compensada pelas termelétricas, que produziram 27% mais, em igual base comparativa, chegando a 17.566 MW médios, o equivalente a 28,6% da geração do SIN.

Já os parques eólicos tiveram crescimento de 58% na geração em novembro, entregando 1.694 MW médios, ou 1,7% da produção total.

A tendência de queda no consumo vista nas semanas anteriores continuou. O consumo preliminar registrado foi de 57.148 MW médios, com declínio de 6,18% frente a novembro do ano passado.

Preço da energia. O preço de liquidação das diferenças (PLD) no mercado brasileiro continuará no limite máximo de R$ 822,83/MWh pela sexta semana consecutiva. Balizador do PLD, o custo marginal de operação (CMO) caiu em relação à semana anterior, porém permanece em patamares elevados, os quais indicam que o PLD continuará a operar no teto estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Ontem, o Operador Nacional do Sistema (ONS) informou que o CMO para o período entre 22 e 28 de novembro ficou em R$ 1.048,14/MWh para todos os subsistemas. O valor é 6,9% inferior ao anunciado na sexta-feira passada, de 1.125,91/MWh, mas acima do preço-teto estabelecido pela Aneel para o PLD.

O Informe do Programa Mensal de Operação (IPMO) publicado semanalmente pelo ONS sinaliza que as condições de chuva para o mês de novembro pararam de apresentar deterioração, pela primeira vez desde o final de outubro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave