A ‘chapa’ quente e zen de Criolo

iG Minas Gerais | Priscila Brito |

Rap: Criolo lança seu novo disco, “Convoque seu Buda”
Rodrigo Schmidt/Divulgação
Rap: Criolo lança seu novo disco, “Convoque seu Buda”

Criolo está zen. E quer que você fique zen também. Ainda que em seu novo disco o rapper paulista vocifere contra as violentas desocupações de moradores carentes no centro de São Paulo, a especulação imobiliária, o consumismo e as recorrentes mortes nas periferias, a mensagem maior é de positivismo como antídoto à turbulenta realidade. 

Por isso, ele pede: “Convoque seu Buda”, em mantra que batiza a primeira faixa e também seu terceiro álbum de estúdio, sucessor do aclamado “Nó na Orelha” (2011). “(Esse pedido) é para lembrar que você é mais que qualquer coisa ruim que está acontecendo. Eu acredito que todas as pessoas, eu, você, quem a gente conhece e quem a gente não conhece, todos os seres têm uma energia boa e algo maravilhoso para dividir com o mundo”, prega Criolo, que lança o novo disco em Belo Horizonte neste sábado (22), em show no Parque das Mangabeiras.   De sua parte, ele garante que convoca um novo Buda todos os dias. Talvez por isso tenha encarado com tanta serenidade a transição de um disco tão bem sucedido para um novo trabalho de inéditas. Não houve peso ou responsabilidade que o estremecesse durante o processo, garante. “Como que algo que me gerou felicidade vai me dar pressão? Música não é competição, eu competir comigo mesmo não faz sentido”.   O resultado é, mais uma vez, um conjunto de faixas em que os versos de Criolo são ritmados pelo rap, claro, mas também pelo samba, reggae e baião naquilo que ele caracteriza como “som de todos”. A banda que o acompanha ao vivo desde “Nó Na Orelha” teve papel criativo nas sessões de gravação de “Convoque seu Buda”. “Foi-se criando uma sonoridade nossa nesses três anos e a gente enxergou que não dava para perder essa abundância de criatividade”, diz.   Há quem escute traços de MPB no novo disco, em função da aproximação de Criolo com nomes como Milton Nascimento (uma parceria com Bituca, “Dez Anjos”, foi incluída no disco que Gal Costa lança em 2015), Caetano Veloso e Ney Matogrosso. Com o equilíbrio de um buda, ele não perde seu eixo principal. “Minha relação com eles sublinhou a importância do rap na minha vida. Foi o rap que me levou a conhecer essas pessoas, mas eu mantive meu jeito. Aprendi com eles muito mais sobre humanidade, solidariedade e carinho e fui guardando esse punhadinho de coisa no coração”.   Criolo Na festa BH Sarará. Com os blocos Baianas Ozadas e Chama o Síndico Parque das Mangabeiras (av. Jpsé de Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras). Sábado (22), das 14h às 22h. R$ 50 (feminino) e R$ 70 (masculino)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave