Com 167 cv, 500 Abarth chega por R$ 79,3 mil

Versão esportiva do compacto da Fiat começa a ser vendida em dezembro; marca pretende vender 250 unidades do modelo no ano que vem

iG Minas Gerais | Raimundo Couto |

Fiat 500 Abarth
Fiat/Divulgação
Fiat 500 Abarth

Definitivamente integrado ao visual de nossas ruas, o Fiat 500 ressurgiu para o mercado depois que passou a ser importado do México. Desde então o preço do “carrinho” chegou a patamares onde se tornou viável sua aquisição, e ele passou a disputar um lugar ao sol. Está longe de ser um carro popular e barato, mas tem charme em forma de valor agregado e muitos equipamentos que já estão incluídos desde sua versão mais simples.

Agora, a vez é de oferecer o topo da gama, a versão Abarth, um esportivo que não deixa pedra sobre pedra, nem em questão de conteúdo e muito menos de potência. Movido somente a gasolina, o motor que equipa a versão é o 1.4 16V Multiair Turbo de 167 cavalos de potência e 23 kgfm de torque, capaz de acelerar o foguetinho de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 s.

Por dentro e por fora, o 500 Abarth transpira esportividade em detalhes que em todo momento nos fazem sentir a bordo de um carro especial. <CF82>Direção</CF> acelerou o “bicho” no autódromo internacional de Goiânia, habitat mais do que natural do 500 Abarth, para sentir nas mãos o que é tentar domar uma fera com sede de velocidade.

Visual

Visto de longe, logo se percebem seus diferenciais, começando pelo duplo escapamento cromado, pelos faróis e rodas de liga leve exclusivas de 16” com pneus 195/45 R16, faixas laterais disponíveis nas cores vermelho, branco e preto, além da capa dos retrovisores externos, acompanhando a mesma cor da faixa.

Equipado com transmissão manual de cinco marchas, o 500 Abarth (para os Estados Unidos há opção de câmbio automático de seis velocidades) conta com direção de assistência elétrica. A marca do escorpião está presente em 16 detalhes que podem ser conferidos interna e externamente. Na dianteira o logotipo está lá avisando se tratar de um “bicho bravo”. O símbolo pode ser encontrado também nas laterais, na tampa do porta-malas, no volante de direção e até no motor.

Pacote

De série, o 500 Abarth é bem completo e traz itens como ar-condicionado automático, banco com easy-entry e memória, Blue&Me, comando de rádio no volante, direção elétrica, faróis dianteiros com projetor e regulagem elétrica de altura, Hill Holder, Isofix e Alpine Premium Áudio Package. Teto solar elétrico Sky Wind e sistema de Audio Beats com subwoofer são opcionais. O pacote de segurança também é muito bom e traz sete airbags, incluindo o de joelho, freios com ABS/EBD, sinalizador de frenagem de emergência e controles de tração e estabilidade.

As vendas do 500 Abarth começam em dezembro com preço a partir de R$ 79,3 mil. A Fiat pretende trazer 250 Abarth por ano desse modelo para o mercado brasileiro. Para 2015, a meta é emplacar 4.500 unidades, incluindo todas as versões neste número.

Na pista

Renovada e com asfalto totalmente refeito, a pista em Goiânia é um convite para acelerar. Escolhemos um Fiat 500 Abarth na cor preta – são ofertadas, ainda, a vermelha, a branca e a cinza. Assim que deixamos o local dos boxes onde estavam estacionados os carros, o ronco do motor se fez presente. Os bancos do tipo concha são revestidos em couro e confortáveis. Todos os ajustes são manuais, e encontrar a melhor posição de dirigir é tarefa fácil. Instrumentos à mão e um volante de ótima pegada, costurado com linhas vermelhas e formato como o dos carros de competição.

Pisamos fundo nas retas e nem tanto nas curvas do autódromo. A pista estava toda sinalizada com cones que nos avisavam a hora de frear, de retomar, tangenciar e voltar a pisar fundo facilita a vida de que está ao volante. Mas nada deixa menos divertida a brincadeira. Nas saídas, até o turbo mostrar a que veio, o carrinho fica meio lento, mas logo mostra o vigor de sua potência de 167 cavalos. Para segurar possíveis desgarradas, e não foram poucas, o sistema de controle da tração alinha novamente o “bólido” com a pista, sem assustar.

A transmissão de cinco marchas é destaque: mantém equilíbrio ideal para não desperdiçar nenhuma assistência do turbo. As trocas são suaves e rápidas.

Mas um foguetinho desse, que acelera com força e vontade, chega uma hora em que tem que parar. E bem. E isso ele também se mostrou capaz de fazer. O sistema de freios composto por discos ventilados nas quatro rodas faz o 500 grudar no chão e transmite segurança a quem o conduz.

O jornalista viajou a convite da Fiat

Leia tudo sobre: compactoesportivoFiat500Abarth