BC abre inquérito para apurar problemas na corretora Corval

Nesse caso, prazo inicial para conclusão dos trabalhos é de 90 dias, a partir da data de instalação da comissão

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Banco Central anunciou nesta sexta-feira (21) abertura de inquérito referente à Corval Corretora de Valores Mobiliários, que está em liquidação extrajudicial desde 11 de setembro. Como ocorre nesses casos, o prazo inicial para conclusão dos trabalhos é de 90 dias, a partir da data de instalação da comissão de inquérito.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo publicada no último dia 10, clientes da instituição financeira, com sede em Belo Horizonte (MG), foram vítimas de golpes como desvio de dinheiro de aplicações, apropriação indevida de ações e uso de títulos do Tesouro Direto em operações da própria corretora.

Os problemas foram confirmados pelo Tesouro Nacional e pela BM&FBovespa. Com a liquidação, estão indisponíveis os bens do controlador da Corval, Orlando Gomes, e dos ex-administradores Carlos Augusto Vieira Fraga e Mauricio Abreu Murad, segundo o BC.

A autoridade monetária justificou a intervenção com base na "existência de graves violações às normas legais e estatutárias que disciplinam a atividade da instituição" e também no comprometimento patrimonial e financeiro da corretora.

A comissão de inquérito será formada pelos seguintes servidores do BC: Mirian Silva Carvalho, presidente; Março Baulino dos Santos, relator; e Raphael Mendes Avelar, assistente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave